O ASSASSINO DO ZODÍACO - SAM WILSON


Sempre gostei de distopia (inclusive, estou bem atrasada com meu projeto de ler mais distopias esse ano, preciso dar uma atenção pra ele) e por isso não deu pra resistir à essa novidade. Eu digo novidade não pelo gênero, mas pelo contexto, pela história que o autor criou. Já já vou explicar melhor sobre isso, mas veja só, esse é o primeiro livro do Sam Wilson (estou chocada), autor que nasceu em Londres e mudou-se para Zimbábue ainda criança, estabelecendo-se na Africa do Sul depois. Estou contando isso porque é muito importante você saber para 1)entender um pouco melhor esse meu lindo texto e 2)entender ainda melhor o livro, quando você ler. E espero que você leia mesmo.

Vamos à novidade que me referi ali em cima: essa distopia mostra uma sociedade dividida não pela classe social, raça ou religião, mas sim pelos SIGNOS. Isso mesmo, os signos do zodíaco. Cadê o pessoal que curte astrologia? Bem, não me encaixo exatamente nesse grupo, eu nem gosto e nem desgosto, é um assunto que não tenho muito contato, mas assim que descobri que a história em O Assassino do Zodíaco seguia esse caminho, me interessei instantaneamente, pois não me lembro de ter visto algo assim antes. E adorei.  

Pensando nessa sociedade maluca que o Sam Wilson criou, o dia e a hora do seu nascimento vai definir quem você é na sociedade. Seu signo vai afetar profundamente a sua família, seu destino, suas relações e seu emprego. Os taurinos normalmente são policiais, os capricornianos são os poderosos, líderes e donos de grandes empresas e os Arianos por sua vez, são a escória da sociedade, os marginalizados. Não vou falar sobre todos os signos aqui, então, se ficou curioso que tal se entregar pra essa história logo, hein?

"Se deixassem a filha nascer naturalmente, ela seria de Câncer, portanto, teria de frequentar uma escola desse signo. E eles precisariam se mudar para para um bairro predominantemente Canceriano ou colocá-la em um internato, onde cresceria sem os pais."

Sendo assim, começam a acontecer uma série brutal de assassinatos e tudo indica que os Arianos - o povo mais violento - estão envolvidos nisso de alguma forma. Acompanhamos o detetive taurino Jerome Burton, que precisará da ajuda de uma astróloga para resolver os crimes. Ou melhor, para tentar resolver os crimes. Tudo se mostra muito (mas muito) mais complexo do que ele poderia esperar. E enquanto eles tentam descobrir o que está acontecendo, nós, meros leitores, vamos correndo pelas páginas freneticamente como se não houvesse amanhã. Ô livro delícia pra ler e não parar. 

Um dos pontos altos dessa leitura é seu contexto político e social. O autor constrói uma crítica voraz ao Apartheid e não só isso, é um livro que dialoga muito com a nossa atualidade e conseguimos criar relações com o que acontece aqui nesse Brasil de meu Deus e no mundo. A leitura é um convite à reflexão do começo ao fim e o nível vai subindo a cada página. Eu não parava de ficar chocada com os acontecimentos na história, mas também ficava chocada com todo o sentido que eu via naquilo e nas relações que fazia com o nosso cruel dia-a-dia. 

"O fato de, ainda hoje, a polícia escolher e perseguir determinado signo é inaceitável. Mas ainda não é o pior. O Esquadrão Aríete regularmente empreende buscas e exige documentos de identidade. Tiram nossa privacidade e dignidade, embora ninguém saiba nada sobre eles."

Portanto, é um livro de ação, de investigação e é também um livro sobre política e sociedade. Claro, com os signos do zodíaco enfeitando tudo e chamando atenção para metáforas interessantes e extremamente reflexivas. Se você gosta disso tudo, meu amigo, não perca seu tempo e se joga nessa sociedade tão diferente e tão igual a nossa. Essa é uma das grandes graças da distopia, né? Nos mostrar uma sociedade diferente para nos fazer enxergar o que está acontecendo no momento atual. 

Livro recebido da Editora Jangada, obrigada pessoal da editora por ter me enviado. Adorei!

LINKS PARA COMPRA




Rita Zerbinatti, 26 anos, professora, apaixonada por Ficção Científica, dias chuvosos, séries de TV e café. Quer saber mais?Clique 
aqui.





0 comments