MARY BARTON | ELIZABETH GASKELL


Eu sempre volto para os clássicos. Sinto mesmo depois de vários séculos, algumas coisas nunca mudam. Dificuldades que as pessoas passavam no passado continuam universais. "Mary Barton", escrita pela Elizabeth Gaskell, não deixou de me surpreender. Mais conhecida pela obra, "Norte e Sul," Mary Barton é sua primeira novela, onde ela usa a era industrial e a luta trabalhista para desenvolver a trama da heroína Mary Barton. 



Mary Barton é filha de John Barton, um operário que cria ela sozinha, e leva uma vida muito difícil em Manchester, Inglaterra. Para ajudar com as despesas de casa, ela começa a trabalhar como costureira. Ela sonha com uma vida onde ela ascende socialmente e não precisa mais trabalhar. Por causa da sua beleza, ela atrai um jovem rico, Henry Carson, e deixa ele cortejar ela. Ela sempre foi amada pelo seu amigo de infância, Jem Wilson, e por isso, se encontra em um triângulo amoroso.

A história envolve muitos aspectos da vida dos operários ingleses no século XIX. Podemos ver a extrema pobreza dos operários das fábricas e a aparente falta de compaixão dos patrões. A Elizabeth Gaskell escreve com grande delicadeza as lutas que essas famílias passavam durante a época. Há um pouco de tudo nesse história, por ter sido escrito na era vitoriana, acompanhamos a história de amor da Mary Barton, mas também ocorre uma greve, e até assassinato. Foi um dos primeiros livros da época que fez de sua protagonista uma heroína. 

O que mais me chamou atenção do livro, foi a maneira que a Elizabeth escreveu sobre os trabalhadores. Apesar de estar muito claro as condições que eles trabalhavam, ela foi muito sútil em criticar o que estava acontecendo na sociedade naquela época. Imagino que ela escolheu focar no romance, porque as suas opiniões era subversivas no tempo em que ela morava. Mas mesmo assim, foi uma obra poderosa. O fato de ela protagonizar a mulher e relatar a pobreza dos trabalhadores, já foi o suficiente para impactar os leitores. 

Mas mesmo assim, ela também expôs o lado dos patrões, mostrando que cada um carrega seus próprios problemas. Teve um diálogo entre o patrão e os trabalhadores, onde eu senti que cada um saiu com aquela impressão, de que nunca podemos saber o que outro está sofrendo, se não nos colocamos nos seus  sapatos. O raiz do problema, é a inabilidade das pessoas se colocarem nos sapatos de outras pessoas. Até hoje, vemos que há uma intolerância, quando as pessoas tem uma opinião que é diferente da nossa. Muitas vezes rejeitamos a pessoa ou não tentamos entender-la. Acho que isso é muito complicado. Muito dos problemas que temos hoje é a falta de comunicação entre grupos e logo em seguida a falta de entendimento. Mas não é ignorância, mas tem vezes é preguiça. Preguiça de nos colocar na posição da outra pessoa. 


Amei essa leitura e achei a edição desse livro maravilhoso. A tradução está bem acessível. Estou um pouco viciada no meu Kindle, então também baixei a versão original e não pude evitar de comparar. Já estou com vontade de ler tudo que foi escrito pela Elizabeth Gaskell! Os livros da Era Vitoriana sempre me encantam, apesar de que deveria ser terrível viver nessa época (sendo mulher, especialmente) vocês não acham? 

LINKS PARA COMPRA



28 anos. fotógrafa. cidadã do mundo. amante de viagens, café e bolo. Um pouco viciada com as séries! muitas vezes sou confundida com indiana.


Me acompanhe por aí: 

3 comments

  1. Olá! Apesar de só ter lido Norte e Sul, sou apaixonada com a escrita da Gaskell. E engraçado, não conhecia essa obra que você comentou. Legal perceber que a autora ampliou a critica social feita nessa novela em Norte e Sul (já leu? fiquei na dúvida).

    Concordo contigo, deveria ser terrível viver nessa época.

    Parabéns pelo texto e fotos!
    CAFÉ E BONS LIVROS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigada! :) Eu vi a mini serie Norte e Sul da BBC e na época eu não sabia que era baseado no livro. (Você já viu? É incrivel!) Coloquei na minha lista para poder comparar melhor as obras mas pelo que percebi, a critica social é mais predominante. Talvez por ter sido o primeiro livro dela, ela não teve tanto medo ou receio. Ela também introduz o sistema judicial da época, que também era bem rigido..
      Enfim, vale muito a pena ler! Se você gostou de Norte e Sul, vai gostar também <3

      Excluir
    2. Já ouvi falar da série sim, mas ainda não assistir.

      Vou ler Mary Barton com certeza. Obrigada por me apresentar esse livro ^^

      Excluir