TBR | O QUE PRETENDO LER EM MARÇO



Vocês já devem estar sabendo que eu estou fazendo esse Especial Mês da Mulher por aqui, certo? Com isso, resolvi ler, durante o mês inteiro, apenas livros escritos por autoras. Estou mega empolgada e talvez, só talvez, tenha exagerado na minha listinha desse mês. Mas não tem problema, eu adoro fazer listas e sempre exagero, é normal. Não se assustem. 😊

Na verdade, como sempre estou atrasada e já estamos no dia 11 de Março, eu já li uma coisinha ou outra, mas vou comentar mais sobre esses livros aqui com calma, juntinho com vocês, podem aguardar! 


Estão lembrados do meu Desafio Literário? Eu me propus esse desafio para dar uma movimentada aqui na estante e, principalmente, ler mais daquilo que não dei muita atenção no ano passado. Pois bem, esse mês o desafio é ler somente autoras e deixar os autores de lado por um tempinho. Mal não vai fazer, não é mesmo? Então, partiu dar toda nossa atenção para as mulheres! 

Não se esqueça de clicar no título do livro para comprar ou saber mais!

OS LIVROS

Vulgo Grace, Margaret Atwood

Esse livro faz parte do meu Desafio Literário 2018. Eu já assisti a série de tv que está na Netflix e simplesmente amei, portanto, as expectativas são altíssimas. 

 Inspirado num caso real, Vulgo Grace conta a trajetória de Grace Marks, uma criada condenada à prisão perpétua por ter ajudado a assassinar o patrão e a governanta da casa onde trabalhava, na Toronto do século XIX. Com uma narrativa repleta de sutilezas que revelam um pouco da personalidade e do passado da personagem, estimulando o leitor a formar sua própria opinião sobre ela, Atwood guarda as respostas definitivas para o fim. Afinal, o que teria levado Grace Marks a cometer o crime? Ou será que ela estaria sendo vitima de uma injustiça?


Harry Potter e a Câmara Secreta, J. K. Rowling

E vamos lá, seguindo firme e forte com a nossa leitura da Harry Potter. Está rolando um projetinho de leitura conjunta, ainda dá tempo caso você também queria entrar no grupo e ler Harry Potter com a gente! 

Acontece que eu não gostei muito do primeiro, mas vou encontrar forças para continuar (a preguiça bateu forte, confesso). Essa vai ser a última chance, se eu não curtir esse segundo livro, infelizmente vou desistir...  

 História do novo sobrenome, Elena Ferrante

Ah, essa mulher! Essa autora conseguiu me conquistar completamente com o livro Amiga Genial, o primeiro voluma da quadrilogia Napolitana. Eu simplesmente amei, com força! E estou só enrolando para dar continuidade (já disse que sou péssima com séries... não sei o que acontece), mas desse mês não passa! Vou me esforçar para ler esse segundo volume logo e que tal vim falar um pouco sobre os dois primeiros livros dessa série? Ótima ideia, não é?! 

Dias de abandono, Elena Ferrante

Eu ganhei esse livro de uma pessoa muito especial e nada como um momento especial para lê-lo. A minha querida Isa Tramontina me presenteou com esse livro e disse que eu iria adorar essa leitura, só com essa recomendação já sei que vou amar. Sempre amo as recomendações da Isa! Ô pessoa incrível!

Depois de quinze anos de casamento, Olga é abandonada por Mario. Presa ao cotidiano estilhaçado com dois filhos, um cachorro e nenhum emprego, ela se recusa a assumir o papel de “pobre mulher abandonada”. Essa opção a projeta num turbilhão de obsessões, angústias e ímpetos violentos, capazes de afastar Olga do fato de que as derrotas precisam ser assumidas para que a vida possa enfim seguir adiante.
Assinado pela enigmática autora cuja verdadeira identidade é mantida em segredo, ''Dias de abandono'' colocou Elena Ferrante definitivamente no panteão dos maiores autores da literatura segundo público e crítica.

  Um de nós está mentindo, Karen M. McMannus

Esse é um dos livros que eu já li. Na verdade eu comecei a ler no mês passado e faltava bem pouco para finalizar, a leitura foi bem legal, divertida mas nada muito marcante. Espero vir conversar mais sobre esse livro com vocês em breve!


Cinco alunos entram em detenção na escola e apenas quatro saem com vida. Todos são suspeitos e cada um tem algo a esconder 

Numa tarde de segunda-feira, cinco estudantes do colégio Bayview entram na sala de detenção: Bronwyn, a gênia, comprometida a estudar em Yale, nunca quebra as regras. 
Addy, a bela, a perfeita definição da princesa do baile de primavera. 
Nate, o criminoso, já em liberdade condicional por tráfico de drogas. 
Cooper, o atleta, astro do time de beisebol. 
E Simon, o pária, criador do mais famoso app de fofocas da escola. 

Só que Simon não consegue ir embora. Antes do fim da detenção, ele está morto. E, de acordo com os investigadores, a sua morte não foi acidental. Na segunda, ele morreu. Mas na terça, planejava postar fofocas bem quentes sobre os companheiros de detenção. O que faz os quatro serem suspeitos do seu assassinato. Ou são eles as vítimas perfeitas de um assassino que continua à solta? 
Todo mundo tem segredos, certo? O que realmente importa é até onde você iria para proteger os seus.


 A elegância do ouriço, Muriel Barbery

Estou com altas expectativas para esse livro, até agora só escutei comentários incríveis sobre ele, minha curiosidade está pra lá de aguçada! 

Um prédio elegante no centro de Paris; uma desconfiada zeladora de meia-idade, fã de Tolstoi e do Oriente; uma garota cáustica, às turras com a família; um senhor japonês sorridente e misterioso. Com esses ingredientes díspares, Muriel Barbery fez do romance A elegância do ouriço a boa surpresa literária de 2006 na França, onde vendeu mais de 850 mil exemplares.
À primeira vista, não se nota grande movimento no número 7 da Rue de Grenelle: o endereço é chique, e os moradores são gente rica e tradicional. Para ingressar no prédio e poder conhecer seus personagens, com suas manias e segredos, será preciso infiltrar um agente ou uma agente ou - por que não? - duas agentes. É justamente o que faz Muriel Barbery em A elegância do ouriço , seu segundo romance.

Dicas da imensidão, Margaret Atwood

Mais um livro dessa autora maravilhosa que eu adoro! E esse é um livro de contos, que já comecei a ler e foi o livro escolhido para a leitura compartilhada que faço com a Aline todo mês! Estou sentindo que fizemos mais um boa escolha, esse livro já começa muito bem! Os primeiros 2 contos que li já me marcaram muito. Margaret Atwood né, mores?!!

Conversas entre amigos, Sally Rooney

Esse é mais um dos livros que eu já li esse mês e simplesmente adorei. A história me pegou de jeito e eu não conseguia largar. Também quero comentar mais sobre ele aqui, espero fazer isso ainda essa semana. Fique de olho!

Frances, uma estudante de vinte e um anos que vive em Dublin, é escritora e apresenta em público suas peças de poesia com Bobbi, sua ex-namorada e melhor amiga. Ela é tímida, austera e distante; Bobbi é mais comunicativa e de fácil trato. Quando Melissa, uma notável fotógrafa e ensaísta, se aproxima de ambas para oferecer um perfil em uma renomada revista, elas aceitam com entusiasmo. Enquanto o encanto de Bobbi por Melissa aumenta, Frances se aproxima pouco a pouco de Nick, o marido-ator não muito bem-sucedido, e a relação de poder que se estabelece entre os quatro se torna cada vez mais complexa. 

A casa dos espíritos, Isabel Allende

Não vejo a hora de finalmente conhecer essa autora, também só ouço coisas boas a respeito dos livros dela e tenho a maior curiosidade!

A casa dos espíritos é tanto uma emblemática saga familiar quanto um relato acerca de um período turbulento na história de um país latino-americano indefinido. Isabel Allende constrói um mundo conduzido pelos espíritos e o enche de habitantes expressivos e muito humanos, incluindo Esteban, o patriarca, um homem volátil e orgulhoso, cujo desejo por terra é lendário e que vive assombrado pela paixão tirânica que sente pela esposa que nunca pode ter por completo; Clara, a matriarca, evasiva e misteriosa, que prevê a tragédia familiar e molda o destino da casa e dos Trueba; Blanca, sua filha, de fala suave, mas rebelde, cujo amor chocante pelo filho do capataz de seu pai alimenta o eterno desprezo de Esteban, mesmo quando resulta na neta que ele tanto adora; e Alba, o fruto do amor proibido de Blanca, uma mulher ardente, obstinada e dotada de luminosa beleza. As paixões, lutas e segredos da família Trueba abrangem três gerações e um século de transformações violentas, que culminaram em uma crise que levam o patriarca e sua amada neta para lados opostos das barricadas. Em um pano de fundo de revolução e contrarrevolução, Isabel Allende traz à vida uma família cujos laços privados de amor e ódio são mais complexos e duradouros do que as lealdades políticas que os colocam uns contra os outros.

Os diários de Sylvia Plath

Calma, não quero ler esse calhamaço inteiro durante esse mês! Seria querer demais já que tenho que trabalhar e fazer outras coisas além de ler, não é mesmo? Mas a intenção é ir lendo aos poucos. Já comecei essa leitura - estou encantada - e passo 20 minutor por dia com esse livro. Devagarzinho e sempre. Como é um diário, uma coisa pessoal e corriqueira, não vai rolar ler muitas páginas de uma vez, então tem dado certo dessa forma mais lenta. Estou curtindo bastante a experiência. 

OS E-BOOKS 

Pequenas tiranias, Aline Valek

A gente sonha alto mesmo, e daí? Além dos livros, separei alguns e-books que estou MUITO afim de ler e seria incrível se eu conseguisse dar uma atenção maior pra eles também. Esse "Pequenas Tiranias" da Aline Valek (Aline, sou sua fã!!!!) é uma trilogia de contos que retratam o absurdo cotidiano. Vindo da Aline Valek eu já sei que vou amar e já sei que vai ser lindo! 

Tash e Tolstói, Kathryn Ormsbee

Só por ter Tolstói no meio eu já gostei! Se liga na sinopse:

Natasha Zelenka é apaixonada por filmes antigos, livros clássicos e pelo escritor russo Liev Tolstói. Tanto que Famílias Infelizes, a websérie que a garota produz no YouTube com Jack, sua melhor amiga, é uma adaptação moderna de Anna Kariênina. Quando o canal viraliza da noite para o dia, a súbita fama rende milhares de seguidores — e, para surpresa de todos, uma indicação à Tuba Dourada, o Oscar das webséries. Esse evento é a grande chance de Tash conhecer pessoalmente Thom, um youtuber de quem sempre foi a fim. Agora, só falta criar coragem para contar a ele que é uma assexual romântica — ou seja, ela se interessa romanticamente por garotos, mas não sente atração sexual por eles. O que Tash mais gostaria de saber é: o que Tolstói faria? 

 The opposite of loneliness, Marina Keegan

E por último, mas não menos importante, temos um livrinho em inglês. Estou me esforçando para ler um livro em inglês todo mês, quero muito transformar isso em um hábito sério. O livro escolhido para esse mês foi "The opposite of loneliness" que traz histórias e ensaios que a Marina nos deixou. Cheia de sonhos e planos para o futuro, 5 dias depois da sua formatura em Yale ela sofreu um acidente de carro e morreu.  Mesmo sabendo apenas isso sobre sua história, tenho a impressão de que será uma leitura dolorida. A frase abaixo me chamou muita atenção e me motivou para ler o que essa garota recém formada tinha para nos falar. 

“We can still do anything. We can change our minds. We can start over…We’re so young. We can’t, we MUST not lose this sense of possibility because in the end, it’s all we have.” 

Tradução livre: Nós ainda podemos fazer qualquer coisa. Nós podemos mudar nossas mentes. Nós podemos recomeçar... somos tão jovens. Não podemos, não DEVEMOS perder essa percepção das possibilidades porque no final, isso é tudo que temos.



Rita Zerbinatti, 26 anos, professora, apaixonada por Ficção Científica, dias chuvosos, séries de TV e café. Quer saber mais?Clique 
aqui.



0 comments