LEITURAS DE JANEIRO | 2018


Yaay! Primeiro post de leituras do mês, que emoção! Ano novo, tudo novo. Ou melhor, nem tudo novo, mas já que falei nisso: estou um pouco de saco cheio de fazer o vídeo de leituras do mês, eu ainda não consegui pensar em um formato bacana e diferente (acho que está na hora de fazer algo diferente, mesmo) por isso vou tentar vir comentar aqui no blog enquanto penso em algo pro Youtube. Seria legal pensar num formato diferente aqui pro blog também, vou fazendo meus testes e ajustes, se quiser deixar sugestões fique à vontade 😀 

O que vou tentar fazer hoje é bem simples: vou mostrar um pouco das minhas leituras no geral e depois fazer um resumão das minhas impressões de cada livro lido. Como em Janeiro eu li bastante, vou tentar fazer algo mais compacto para não ficar um post muito extenso. Por conta disso, não entrarei em muitos detalhes, será mais voltado para minhas impressões mesmo, portanto, se quiser saber da sinopse ou algo assim, clique no título do livro para mais informações, ok? Vamos lá?

BALANÇO DAS LEITURAS


Foi um mês muito incrível, especialmente por que estive de férias e isso me ajudou a transformar a leitura algo ainda mais presente no meu dia-a-dia. Que delícia! 

Estou fazendo um balanço no Evernote (e estou devendo um post mostrando como estou me organizando, juro que vai sair) e esse balanço serve justamente para eu ter uma ideia no final do mês de quantas autoras eu li, quais gêneros foram mais populares, país que dominou tudo. Coisas assim. Eu não consegui encontrar uma forma de mostrar isso pra vocês por aqui em uma boa resolução, mas prometo que assim que conseguir isso vou mostrar tudinho! 

Fiquei muito contente com a variedade que consegui atingir esse mês de forma natural, não fiquei me limitando ou selecionando muito, simplesmente li o que deu vontade e é muito satisfatório perceber que sai um pouco da zona de conforto e visitei países diferentes como Romênia e Islândia. Quer coisa mais incrível que isso? A leitura é a melhor forma de viajar ♥ Que venham mais viagens incríveis!

RESUMÃO



DESAFIOS LITERÁRIOS

Frankenstein, Mary Shelley: um favorito que conseguiu ser ainda mais favoritado depois que fiz a releitura. Esse livro era o primeiro da Meta de Leitura 2018 e fiz questão de começar por ele porque sabia que seria lindo, sabia que iria me encantar e aproveitei muito essa história. Uma releitura é sempre algo enriquecedor, a obra não muda, mas nós mudarmos e nosso olhar muda, nossa forma de pensar e ver o mundo muda, por isso acho tão legal fazer releituras. A história continua esplendorosa e incrível, dessa vez eu pude analisar e perceber muito mais coisas, várias cenas e diálogos me impactaram de uma maneira muito mais forte. Foi lindo mesmo. Uma das melhores leituras da vida. 

O rinoceronte, Eugéne Ionesco: esse livro foi lido para o Desafio Literário Cheirando Livros. O desafio do mês de janeiro era ler um livro que te tirasse da zona de conforto, algo diferente: escolhi essa peça de teatro, pois, claramente, não tenho nenhum costume de ler isso. Inclusive, ler peças de teatro me causa um estranhamento tão grande que não consigo me conectar tanto com a história, não sei explixar isso. Esse livro é sensacional, mas não tive essa conexão, não fui muito além, não me envolvi o suficiente. Ainda assim, se você curte peças, essa é imperdível! Te garanto! 


LEITURAS CONJUNTAS

A hora da estrela, Clarice Lispector: como essa Clarice conseguiu ser tão incrível assim? Alguém me dá essa luz?Que livro! Que livro! Eu escrevi um pouco sobre meus sentimentos e sensações, só clicar aqui caso queira saber mais.

Ilusão do tempo, Andri Snaer Magnason: uma fantasia deliciosa com toques de contos de fada e uma mistura interessante que varia entre um tom cruel e delicado. Bem do tipo contos de fada mesmo, uma história bonitinho, mas que não tem nada de bonitinho e você nem precisa olhar muito de perto. O autor é muito sagaz com algumas críticas sobre nossa relação com o Tempo, esse inimigo que não dá descanso. Ainda vou escrever mais sobre isso, podem esperar! 


DA TBR 

 Atlas de nuvens, David Mitchell: genial, diferentão, intenso, lindo. Eu me entreguei com vontade para esse livro, mas ele me perdeu em algum momento (quase lá pro final), e meu ritmo com a história deu uma quebrada, perdi um pouco a empolgação. Ainda assim a leitura foi muito boa, reconheço e entendo a genialidade do autor e esse livro, amigos, é uma obra de arte. Quem sabe um dia eu releia e tenha uma experiência ainda mais completa e satisfatória. 

Kindred, Octavia E. Butler: ah, que livro! Foi uma das leituras mais rápidas e extremamente deliciosas que fiz na vida. Deliciosa no sentido de que você pega e devora, por que o tema que a autora aborda é bem o contrário disso. É um livro intenso, pesado, dolorido e ao mesmo tempo incrível, super importante, maravilhoso. Necessário.
 

E-BOOKS

Como ler mais e melhor, Ismar Souza: o título já diz tudo, devo comentar que, na minha experiência com esse livro, não pude extrair tanto e discordo do autor em alguns pontos. Não que ele esteja errado, de forma alguma, mas não vejo da mesma forma que ele e não quero experimentar o que ele propõem, por exemplo: nesse livro ele aborda a questão da rapidez da leitura, sendo assim, quanto mais rápido lermos, melhor (ele explica direitinho o porquê, mas não vou entrar nesses detalhes aqui). Sabe aquela voz que nos acompanha mentalmente durante a leitura? Seria algo que poderíamos eliminar, segundo o autor. Eu apenas não concordo com isso, pois eu não quero ler mais rápido, nem eliminar minha voz mental. Inclusive, gosto dela. Claro, podemos sempre buscar melhorar, mas sou um pouco contra essa ideia de acelerarmos as coisas, já é tudo tão acelerado e a leitura é meu único momento de desacelerar, de respirar, de descansar, está ótimo assim. E mesmo com textos acadêmicos, não consigo usar esses métodos. Se você usa, me conta aí! 

Binti - Home, Nnedi Okorafor: que autora maravilhosa! Esse mês eu li o segundo volume da trilogia Binti e que livrinho sensacional! Se eu já havia gostado do primeiro, esse segundo então, me conquistou totalmente. Entramos mais em contato com a família da Binti e com seu povo (não vou dizer mais do que isso) e foi sensacional. Dê uma chance para Binti, é incrível!


LIVRO FAVORITO DO MÊS!

Cosmos, Carl Sagan: e finalmente terminei de ler Cosmos depois de 2 meses e alguma coisa. Não que o livro seja difícil ou chato, pelo contrário, mas eu estava enrolando e sabia que iria chegar o momento que iria focar e aproveitar essa leitura. Foi uma experiência sensacional! Um dos melhores livros DA VIDA. Daquele tipo que quero revisitar sempre! Uma eterna releitura.



Rita Zerbinatti, 26 anos, professora, apaixonada por Ficção Científica, dias chuvosos, séries de TV e café. Quer saber mais?Clique aqui.

0 comments