NÃO DURMA - MICHELLE HARRISON


Só quem sofreu paralisia do sono pode entender o quanto é assustador. Acordar e não conseguir se mexer ou falar e ainda ter a sensação de que está rodeado por algo desconhecido não é nada fácil. Eu tive uma experiência bem semelhante mas nada tão grave e ainda assim, fiquei horrorizada. Quando acordei, não queria voltar a dormir por que tinha certeza que aconteceria de novo. Foi uma experiência péssima que não desejo pra ninguém. Agora imagina acompanhar um personagem que sofre com isso TODA vez que dorme! 

A história em "Não Durma" traz esse personagem que sofreu um acidente e depois disso, passou a ter noites de sono assustadoras. Tudo na vida dele mudou, inclusive sua aparência - ele era muito bonito, sucesso das novinhas no Ensino Médio - mas as noites mal dormidas depois desse acidente fizeram dele algo bem parecido com um zumbi. Pobre garoto. E era isso que ele mais recebia: olhares de pena. 

O ... não consegue se livrar desse problema com a paralisia do sono e mesmo sabendo que existe uma explicação científica pra isso, ele morre de medo. Principalmente por que, ao estar nessa experiência o vulto de uma mulher sobe em cima dele e tenta se comunicar, e o pior: ele sabe quem é essa mulher, por acaso é a antiga moradora do apartamento que se suicidou na banheira. Hum, acho que não gostaria de estar na pele desse personagem. Todos ao redor insistem em chamar isso de pesadelos, mas para o ... parece ser outra coisa. Será que ele consegue ver os mortos quando está sofrendo da paralisia do sono? Se sim, o que ele deve fazer? Como e onde deve buscar ajuda? 

Além de tudo isso, ainda temos os famosos dramas adolescentes. Ah, esqueci de comentar: esse livro é mais voltado para um público jovem, o tal do YA. Eu normalmente não me dou muito bem com esse tipo de livro, mas parece que me encaixei com esse, viu?! Fico feliz com isso, finalmente ter achado um livro que não considerei bobo demais ou explorando esses dramas adolescentes de um jeito que não me agrada. Com "Não durma" achei tudo no nível certo, sabe? Tem clichês e tem os dramas, mas nada explorado de forma exagerada ou babaca, me pareceu mais real. A personagem da ... teve um destaque bacana e considerei seu drama super válido, ela é aquela adolescente que sofre com a superproteção dos pais, especialmente do pai. E essa surperproteção terá um preço horrível, coisa que me surpreendeu no final da história. 

A autora trabalha os temas de maneira discreta, que vai te puxando aos poucos e quando você percebe já está completamente envolvida com a história. Tem as tais das cenas assustadoras que são deliciosas, com  muito potencial de causar aquele aperto na boca do estômago e arrepiar os pelinhos da nuca. A leitura é muito válida para quem quer uma história que flui, que tem potencial para assustar e principalmente, que tem uma história legal pra contar. Só não indico muito essa leitura pra quem sofre de paralisia do sono, pode ser bem assustador. Eu particularmente ficar morrendo de medo de ter uma experiência assim de novo e nem lembrava mais disso antes de ler o livro, então ele em esse gatilho. Cuidado e tenha uma ótima noite de sono. 








Rita Zerbinatti, 25 anos, professora, apaixonada por Ficção Científica, dias chuvosos, séries de TV e café. Quer saber mais?Clique 
aqui.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.