INDICANDO SÉRIE: THIS IS US


A primeira temporada dessa série foi lançada em setembro do ano passado e me lembro claramente de ter pensado: hum, legal mas parece clichê. Meio que torci o nariz e ao mesmo tempo tinha vontade de assistir, e essa vontade só se reforçou depois de ver essa série sendo indicada e recomendada por pessoas que admiro muito. Demorei mas finalmente assisti os 18 episódios que compõem essa primeira temporada, e que temporada! Que série! 

Como começar a escrever sobre essa série? Talvez falando das atuações que são extremamente marcantes? Talvez lembrando da forma como a história é contada mesclando passado e presente? Talvez falando sobre cada personagem tem uma profundidade e uma complexidade de se admirar? Nossa, acreditem... são muitas coisas boas pra falar. Sempre que eu ouvia alguém comentando isso sobre This Is Us eu pensava: "nem deve ser tudo isso", mas na verdade é muito mais do que isso.

Que tal começar pela história: existem milhares de pessoas que fazem aniversário no mesmo dia que a gente, será que isso nos conecta de alguma forma? Começamos a série a partir dessa ideia, portanto desenvolve-se uma história de 3 pessoas que nasceram no mesmo dia e qual a ligação existe entre elas. E a forma como isso tudo nos é apresentado é digna de nota: a história é desenvolvida em dois  tempos, no presente e no passado. Com isso, acompanhamos esses personagens em diversos momentos. Enfim, não quero entrar em mais detalhes porque eu não sabia de nada quando comecei assistir e foi incrivelmente surpreendente, só posso lhe dizer que a conexão desses personagens, suas histórias, suas personalidades, enfim, tudo sobre eles é absolutamente incrível. 

A série merece todos os elogios possíveis, mas ela me conquistou ao abordar temas do nosso cotidiano, da nossa vida, de uma forma tão sensata e delicada. É uma série dramática, mas real, não passa aquela sensação de estar forçando a barra, sabe? Eu mesma me identifiquei com tanta coisa, a lista seria grande demais para esse texto. E outra coisa interessante é que eu ouvi várias pessoas comentando que choraram muito em quase todos os episódios e realmente, cada um dos episódios parecem ter sido feitos de forma tão especial e única que é difícil não se emocionar pra valer. 

Também não posso deixar de elogiar o trabalho com a fotografia e trilha sonora. Meu. Bom. Deus. O que dizer de uma série que começa tocando Sufjan Stevens? Dá pra ter um mini ataque do coração tentando segurar essa emoção! As músicas são lindas, fiquei com a sensação de que foram perfeitamente escolhidas para cada momento. As cores são maravilhosas e tem uma harmonia estonteante. Eles usam e abusam do flare, eu particularmente adoro, achei que ficou lindo e me transmitiu um bem-estar, uma sensação boa. Aliás, tudo nessa série tem esse poder de transmitir uma sensação boa. 

Sem contar os temas que cada personagem carrega, vou citar alguns só de leve para deixá-los mais curiosos: obesidade, preconceito, aceitação, adoção, luto e tantos outros. Essa série é realmente uma preciosidade e precisamos cuidar bem dela! Reserve um tempinho para assistir, você não irá se arrepender, pelo contrário, irá lavar a alma, ficar mais leve e enxergará a vida e as pessoas de um outro ângulo. Um ângulo bem mais gentil. 






Rita Zerbinatti, 25 anos, professora, apaixonada por Ficção Científica, dias chuvosos, séries de TV e café. Quer saber mais?Clique 
aqui.


Um comentário:

  1. Já vi muitos comentários sobre essa série, mas sempre vou deixando passar. Gosto quando o foco é o cotidiano, porque me sinto mais ligada na história. Como nunca me arrependo de seguir alguma indicação sua, vou tentar assistir ainda esse mês.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.