A BÚSSOLA DE OURO - PHILLIP PULLMAN


Não é novidade pra ninguém que eu me encanto com livros de Fantasia (e Ficção Científica), mesmo que não leia o tanto que gostaria. Preciso resolver isso, eu sei. E esse é um dos motivos pelos quais escolhi ler A Bússola de Ouro em parceria com a Companhia das Letras, que estão trazendo essa edição nova MARAVILHOSA! O livro foi publicado originalmente em 1995 e foi adaptado para o cinema em 2007. Me lembro de ter assistido esse filme na época, toda feliz com o urso falante - isso era o que mais me chamava atenção na história - e lembro de ter adorado. No entanto, ainda não assisti ao filme depois de ler o livro, mas quero muito até porque eu amei a história com força total. 

A trilogia Fronteiras do Universo tendo a Bússola de Ouro como primeiro volume, seguido por A Faca Sutil e A Luneta Âmbar, me trazia a ideia de ser história para crianças. Olha meu preconceito literário agindo novamente! Porém, conversando com a Juliana (ela é o máximo, façam o favor de seguir essa pessoa incrível!) ela me contou que chorou com o final dessa história e disse que adorava. Sabe quando acende aquela fagulha no canto da mente? Às vezes basta uma fagulha. Pouco tempo depois recebi o e-mail da Companhia das Letras com esse livro... só poderia ser o destino, não acha? 

E o destino foi legal comigo, sempre tem o momento certo para tudo. Por isso continuo insistindo para os coleguinhas que ficam incrédulos quando falo que ainda não li Harry Potter, o momento ainda não chegou, mas vai chegar! Enfim, a história me surpreendeu de diversas maneiras e provou que eu estava errada: não é um livro para crianças. Na verdade, é um livro para todas as idades, sem restrição e ouso dizer, muito completo. Mas antes de dizer qualquer outra coisa, que tal a sinopse? 

Lyra é uma criança que mora na Universidade e logo de cara percebemos que ela é arteira, autêntica, corajosa e geniosa. Uma personagem e tanto! Um dia ela descobre segredos que mudam sua vida e fazem com que ela tenha uma aventura com feiticeiras e ursos, experimentos científicos, novos mundos, muita correria e muita neve. Tudo isso para descobrir o que esse tal de Pó e o que ele faz... Essa aventura toda é uma delícia de acompanhar, o autor constrói tudo de uma maneira inteligente e acessível, os adultos conseguirão enxergar críticas sagazes nas entrelinhas - às vezes nem tão nas entrelinhas assim -  que nos leva a pensar e fazer paralelos com as nossas vivências. 

Falando em críticas sagazes, eu vi uma matéria comentando que o Vaticano criticou essa história pois falava mal da igreja, diziam que a história promove a ideia de um mundo sem esperança e sem Deus. Acho delicado falar sobre religião porque parece difícil as pessoas entenderem que cada um tem a possibilidade de acreditar no que quiser. E são essas possibilidades que me encantam, por isso passo longe de criticar um livro de fantasia por esses motivos. Gosto de ideias e histórias que fogem do padrão, que fogem do lugar-comum, que não são mais do mesmo. A Bússola de Ouro certamente não é mais do mesmo, fica a dica de um livro incrível, cheio de aventura, gostoso de ler, inteligente e criticado pelo Vaticano. Vai perder essa? 




Rita Zerbinatti, 25 anos, professora, apaixonada por Ficção Científica, dias chuvosos, séries de TV e café. Quer saber mais?Clique 
aqui.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.