MATÉRIA ESCURA - BLACKE CROUCH



Preciso começar esse texto já confessando que sou meio obcecada por alguns temas. Querem exemplos? Multiverso - na verdade, tudo sobre o universo me instiga e me inspira. Outro exemplo? Alienígenas. Quer mais um? Coisas que a ciência não consegue explicar. Mais um? Ok, ok, chega. Já deu pra entender que com alguns temas eu meio que piro o cabeção, e adivinha só? Esse livro vai trazer à tona a teoria do Multiverso, ou seja, pirei o cabeção legal!

Claro que não sou nenhuma expert e esse tema está longe de ser algo que eu compreendo, mas vou tentar explicar um pouco pra vocês: existe essa teoria que nos explica a possibilidade de não existir apenas um universo, mas vários. Infinitos universos. Infinitos big-bangs. Talvez tenha vários universos surgindo bem agora enquanto escrevo. E partindo disso, acredita-se que existem universos em que as coisas se repetem. Existem universos muito, mas muito parecidos com esse que vivemos exceto por alguns detalhes. 

Isso é incrível, não é? Portanto, segundo essa teoria, existe uma enorme possibilidade de existirmos em outros universos. Seriamos iguais, porém, diferentes. De repente, em um universo existe a Rita que não é professora e sim, uma rock star! Essa é uma teoria que descarta a ideia de que somos seres únicos e especiais. Não sei explicar o porquê, mas vejo muito sentido nessa teoria, na minha cabeça cheia de caraminholas essa teoria parece perfeita. 

Mas agora vamos falar sobre o livro! O autor, que é conhecido por ter escrito o livro que deu origem à série de tv Wayward Pines - que me lembra muito Twin Peaks, diga-se de passagem - disse que Matéria Escura foi um dos livros mais difíceis que ele já escreveu, e eu acredito. O personagem dessa história é um físico que acabou abrindo mão de uma carreira brilhante para formar uma família, no entanto, às vezes essa escolha o deixa um pouco frustrado. Só que numa linda noite em família ele acaba saindo de casa para visitar um amigo e passar no mercado, aquelas saídas rapidinhas, sabe? Mas ele não volta. Algo estranho acontece no caminho. 

Esse algo estranho tem a ver com a teoria do Multiverso. Não quero falar mais nada pra não estragar a experiência de leitura de ninguém, mas acompanhar essa história é algo fascinante, intenso, frenético, viciante, instigante. É aquele tipo de leitura que voa, eu lia 100 páginas com a mesma facilidade que leio 50! Foi uma experiência enriquecedora no sentido científico, aprendi bastante com o livro e também refleti sobre a vida, o universo e tudo mais. Será que somos tão únicos como pensamos? Como as nossas decisões afetam o nosso mundo e nossa vida? Como lidaríamos com o fato de descobrir, de repente, que o Multiverso existe?

Fica a fica dessa leitura eletrizante e incrível e fica a pergunta que não quer calar: você gosta da vida que tem?                                                        








Rita Zerbinatti, 25 anos, criadora do blog e canal Cheirando Livros, professora, apaixonada por Ficção Científica, dias chuvosos, séries de TV e café. Quer saber mais?Clique aqui.


3 comentários:

  1. Nossa Ri!!! Quero muito ler esse livro. É uma coisa que sempre me faz pensar... essa ideia dos multivers9s. Que incrivel <3

    ResponderExcluir
  2. eu finalmente comprei minha edição, e fiquei querendo ou não curiosa pela leitura e a historia, mas não sei quando vou conseguir realmente ler, a fila de leitura esta imensa.
    Otimo post, Beijos Biahhy
    https://biahhysilva.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ainda não começou. Sugiro minha resenha neste link https://wordpress.com/post/01pordia.wordpress.com/9474

      Excluir

Tecnologia do Blogger.