COMENTANDO SOBRE: MUNDOS OPOSTOS



Upside Down ou Mundos Opostos conta a historia de dois adolescentes, Adam e Eden, que se apaixonam e esse amor enfrenta obstáculos astronômicos. Eles são separados não só por classes sociais, mas também por uma condição planetária peculiar: eles vivem em planetas com força gravitacionais opostas. Adam mora no planeta inferior, marcado pela pobreza e a Eden vive no planeta superior, são ricos e exploradores. Se conhecem quando crianças, no limite de seus mundos, rodeados de montanhas e neve. Logo começa uma amizade que vai se desenvolvendo, obviamente. Conforme o andamento do romance, chega um momento que a polícia os descobrem e os prendem. Na confusão, a Eden sofre um acidente grave.

Dez anos depois, Adam descobre que a Eden está viva e decide se infiltrar na corporação do mundo superior, que conecta os dois planetas, onde ela trabalha. Ele começa a testar os limites desse mundo desconhecido. Por causa das gravidades opostas ele não pode ficar muito tempo no mundo superior, ele só pode viver onde nasceu. Assim, começa a aventura do Adam, que tenta lutar contra a sociedade em que vive. Será que o amor é maior que a gravidade?



Upside Down é um filme apaixonante. Conta com a atuação da Kirsten Dunst e Jim Sturgess, que são atores que não importa o filme, sempre quero assistir. Lembra de Marie Antoinette ou Across the Universe...? Sem comentários, né? Fui ver esse filme por acaso esses dias, fazia um friozinho e fui visitar uma amiga. 

Me envolvi muito nesse universo, especialmente por que a fotografia é belíssima.  A simetria desses dois planetas é impressionante, são reflexos um do outro, criando uma visão espetacular. O contraste entre rico e pobre, luz e escuridão, cativa completamente. 

Escrito por Juan Solanas, eles criou seu próprio universo desafiando nossa noção da física e ciência, rompendo com as regras. Ele prefere focar no romance dessas duas pessoas, de mundos opostos, do que nos explicar as nuances do universo ali criado. Talvez isso incomode a muitos, especialmente aqueles que gostam de entender como funcionam as coisas. Talvez seja um pouco confuso, preguntas serão levantadas e não terão respostas. No meu caso, eu me deixei levar pela improbabilidade e pelo abstracionismo. Essa ideia que podemos "desconstruir" a gravidade, de certa forma, pode significar desafiar aquilo que seja impossível ou fora de alcance.

Sem falar no amor. O amor que pode mover montanhas, tirar as barreiras da gravidade e mudar o rumo de um universo.




27 anos. fotógrafa. cidadã do mundo. amante de viagens, café e bolo. Um pouco viciada com as séries! muitas vezes sou confundida com indiana.

Me acompanhe por aí: 






Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.