UM POUCO DE: TWIN PEAKS | A SÉRIE E O LIVRO


Hoje quero mostrar essa edição linda do livro Twin Peaks - Arquivos e Memórias e escrever um pouco sobre essa série que mora num cantinho aconchegante do meu coração. Para começar, não lembro o que me levou a assistir Twin Peaks, talvez apenas curiosidade, talvez alguns comentários sobre essa série me lembravam Twlight Zone - outra série que amo com força.  Talvez muitas coisas. Ou não. Mas me lembro bem o dia que vi o piloto: era uma manhã nublada e friorenta no meio do ano, quis experimentar essa série antes de ir trabalhar, só pra ver no dava. Passei absolutamente o dia inteiro pensando naquilo que tinha assisto pela manhã. Que diabos era aquilo?! E começou assim: a estranheza de Twin Peaks havia me atingido em cheio. De um jeito bom.

É de fato uma série estranha. Aliás, dizer estranho seria pouco, ela pertence à um nível altíssimo de bizarrice, difícil de classificar. Imagina só: é uma série criada pelo David Lynch (sim, o cara que dirigiu O Homem Elefante) e pelo Mark Frost. O que temos a dizer sobre o David Lynch mesmo? Ah sim, ele é foda. F-O-D-A e diferentão. Ok, superamos esse momento. Twin Peaks surgiu nas telinhas na década de 90 e simplesmente paralisou os telespectadores estadunidenses durante o primeiro episódio. A galera foi a loucura! Só se falava em Twin Peaks. 

Legal é que uma das coisas em Twin Peaks que mais me chamou a atenção foi o quanto fiquei envolvida. Esquecia da vida, esquecia de tudo vendo essa série. Ficava vidrada na frente da telinha, mal piscava. Vamos combinar: quase impossível começar e desistir, se você entrar em Twin Peaks eu tenho certeza que você não vai sair ou ao menos, não sairá ileso. E isso é outra coisa impossível de não mencionar pois até hoje eu não esqueço algumas cenas, não esqueço a trilha sonora, não esqueço os personagens. Não esqueço de jeito nenhum aquele final. Aliás, aquele final me deixou perturbada por muito tempo. 

Mas do que essa trata essa série, hein? O plot é simples: a linda e querida Laura Palmer foi assassinada na pequena cidade de Twin Peaks. Quem matou Laura Palmer? O detetive Dale Cooper, do FBI, é o responsável pela investigação do caso e com isso, ele acaba indo para a cidadezinha e fica por lá mais do que o esperado. Ah, outro detalhe: coisas estranhas começam a acontecer com ele nesse lugar esquisito e familiar. Ao longo dos episódios, nos quais você vai conhecendo cada personagem, a trama vai mudando e crescendo, começa-se a descobrir que há muito mais por trás do assassinato. E aí, meu querido, aí o bicho pega. 

Acredito que de tudo que eu poderia falar de bom dessa série, o que me vem à cabeça primeiro é meu fascínio e envolvimento com ela. O clima construído ao longo dos episódios passeia entre a tensão, suspense, momentos assustadores, já outros totalmente cômicos. Ou seja, é uma série que mistura muita coisa de um jeito tão bom que é difícil de largar pela metade. Já disse isso, eu sei, mas realmente foi algo intenso, inesquecível. Eu acho, só acho, que você aí que nunca assistiu deveria dar uma chance. OK? Promete?

Só que tem outro detalhe lindo: a editora Darkside Books lançou o livro "Twin Peaks Arquivos e Memórias", do Brad Dukes. Esse autor é um cara meio loucão por Twin Peaks e ao longo dos anos ele conseguiu realizar muitas entrevistas com os criadores, atores, toda a galera envolvida, e eis que surge o livro. Eu já comecei a ler e é incrível! Claro que, é algo pra fã, pra quem curte e série. Acredito que se você ainda não assistiu, ler esse livro não vai ser uma experiência tão grandiosa, portanto, ASSISTA LOGO! Cada página que eu leio é uma degustação, uma sensação boa de nostalgia e está me trazendo muitas informações incríveis sobre essa série que tanto gosto. 

Enfim, melhor para de escrever ou ficarei aqui pra sempre. Se tiver alguma dúvida sobre a série ou o livro, deixe aqui nos comentários! E de verdade, de coração: vai assistir Twin Peaks por que é incrível! Se entrega, se joga nesse mundo louco da série, é delicioso e perturbador. 

















2 comentários:

  1. Cristiane Maruyama22 de março de 2017 09:28

    Oi, Rita!

    Fazia um tempinho que não vinha te visitar. Minha irmã me marcou no post (ela sabe o quanto sou fã de David Lynch) e vim aqui ler!

    Confesso que sempre levanto a sobrancelha quando se trata de David Lynch, não importa quem esteja falando dele. Mas, afinal, é você quem escreve. E, certamente, vc faria as honras justas e não falaria qualquer coisa... rs

    Gostei muito do que vc escreveu! Esta obra é a mais popular, comercial do cineasta, podemos dizer. Todo mundo conhece David Lynch por causa de Twin Peaks. Essa série inspirou muitas e muitas séries que vemos hoje em dia e nem temos ideia de que todos beberam na mesma fonte.

    A sua maior coerência foi dizer no título "Um pouco". Realmente, não dá para falar muito, seria um post gigante! Aí, ninguém ia ler! rs

    Bonita a edição do livro, pelo que deu para ver, de fã mesmo.

    Se vc quiser continuar com esse tema, minhas sugestões são citar os dois tipos de boxes lançados (eu tenho gold edition, linda), o filme inspirado no livro "Os últimos dias de Laura Palmer". Sugestões... rs

    E nunca esqueçamos: David Lynch é para poucos.

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida!!!
      Bom saber que vc é fã dele, eu conhecia ele de nome - tinha ouvido falar nos filmes complexos etc - mas o único que assisti foi o Homem Elefante, depois só Twin Peaks!Preciso muito ver mais filmes dele e quero indicações :D

      Você tem os boxes????? SEM OOOOR, como eu queria! haha Eu vi o blue-ray outro dia e estava tão caro que desisti na hora. haha
      Agora o filme Fire Walk With Me ainda não vi, estou só enrolando... nem sei o porquê! haha farei isso em breve, antes da nova temporada!

      Ótimo te ver por aqui!
      Beijos <3

      Excluir

Tecnologia do Blogger.