EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS - CLARE VANDERPOOL


Poucos livros que li durante a vida me surpreenderam como esse. É tudo muito simples, é tudo envolto em um véu de delicadeza. Uma história meio fantasiosa, meio perdida no bosque e um tantinho musical. Somos tomados pela correria do dia-a-dia e na maioria das vezes, nos privamos de observar a delicadeza ao nosso redor. Esse livro trata-se sobre muita coisa, mas o que mais me chamou atenção foi a sutileza dessa história. A leveza. Parece que depois de muito tempo, ao terminar de ler esse livro, parei para respirar. 

É lindo quando nos deparamos com algo que nos faz dar um tempo na nossa rotina, nos faz sair desse mundo real e caótico e nos leva para um lugar calmo, uma fortaleza. A história desses personagens me tocou de uma forma tão singela, tão delicada, foi impossível não ceder, impossível não olhar para trás com aquela satisfação de estar deixando tudo e indo em busca de algo maior. Nosso personagem, Jack, se vê em uma situação difícil: sua mãe morreu e seu pai, que tinha ido para a guerra, voltou mas nunca voltou de fato. Traumas de guerra, você sabe. Portanto, ele se vê sozinho em um colégio interno militar e é lá, nesse lugar cheio de crianças meio esquecidas e apagadas que Jack encontra o Early Auden. 

Esse personagem, o Early, é especial de várias formas, ele apresenta sintomas da síndrome de Asperger ou seja, tem muitas dificuldades para encarar o mundo, socializar, mas é um gênio. A princípio, o que mais me chamou atenção nele foi o gosto musical, ele é bom. E ele ouve Billie Holiday em dias chuvosos. Uma pessoa dessas é pra abraçar forte e não soltar. Além das músicas, Early é obcecado pelo número Pi e acaba inventando uma história para esse número. Na verdade, ele enxerga os números como se fossem histórias, ele tem essa visão diferente. Aos poucos vamos descobrindo tudo por trás dessa história do Pi, vamos acompanhar a história de Early, do Jack e vamos começar a observar a mundo de uma forma diferente e linda. E delicada. 

Quantas vezes já escrevi delicado? Muitas, eu sei. Mas não posso fugir disso, essa experiência de leitura se resume muito bem com essa palavra. A história tem uma suavidade confortável, é delicioso, eu não queria que acabasse. E quando acabou, fiquei me sentindo sozinha no meio de um lusco-fusco que parecia não ter fim. Esses personagens, essas palavras, viraram minha casa. Um lugar salvo. Um lugar bom. Um lugar no meio das estrelas. 











Um comentário:

Tecnologia do Blogger.