CONCLUINDO O MÊS: FEVEREIRO | 2017


Yaaay! Mais um mês desse 2017 se foi e já estamos em Março. Eita. Daqui a pouco é natal, não duvido não. E hoje venho mostrar os livros que li nesse rápido mês de Fevereiro! Achei que poderia ter lido mais, já que rolou um feriadão de Carnaval, mas eu fui viajar e quase não sobrou tempo para leitura - infelizmente. Isso é sempre algo que me chateia um pouco, mas eu supero. 

E só lembrando: se clicar no título do livro será direcionado para o meu link na Amazon, se comprar por esse link estará colaborando comigo e com o blog :D 

LEITURAS DE FEVEREIRO


MENINA SUBMERSA, Kaitlin R. Kiernan - o que foi esse livro? Até agora estou tentando entender e ingerir tudo que essa obra me trouxe. Uma mistura intensa e linda de sentimentos infindáveis e incompreensíveis. Acredito que comentar sobre ele é uma das coisas mais difíceis, me trouxe diversos pensamentos e sentimentos que ainda não pude compreender. Ora gostava, ora detestava. Ora estava acompanhando tudo, ora estava completamente perdida em um emaranhado de nuvens de um mundo desconhecido. Esse mundo desconhecido é a mente da narradora, uma menina que sofre de esquizofrenia. Só posso dizer que é um livro profundo, intenso, dolorido e confuso. Adorei. 

MORTE EM VENEZA e TONIO KROEGER, Thomas Mann - Durante essa minha primeira aventura encarando as frases de Thomas Mann me deparei com algo que não imaginava: a chatice. Sempre serei sincera com relação às minhas leituras, não quero magoar ninguém e longe de mim tentar te convencer a não ler um livro, mas não posso mentir ou tentar achar as mais belas e delicadas palavras para exprimir minha experiência de leitura. Esse livro, na minha humilde opinião, foi chato. Nele temos duas novelas, a Morte em Veneza quase me matou de tédio, não gostava de jeito nenhum do personagem, não me apaguei à nada e ainda por cima, achei o estilo da narrativa tão cheio de fru-fru e ficava com aquela sensação de algo grandioso mas que não me fez sentido algum. Já na outra novela, Tonio Kroeger, o cenário mudou bastante. Os personagens eram outros, a história me pareceu mais fluida e agradável, consegui interagir melhor com os personagens e com o contexto. Gostei, mas ainda assim, não foi algo tchaaam como achei que seria. Achei que o Thomas Mann iria me conquistar, me revirar todinha mas não rolou. Infelizmente, perdi minha vontade de escalar A Montanha Mágica.

CAIS, Janaína de Luna e Pedro Cobiaco - Uma HQ sensível que me emitiu um frio subindo dos pés à cabeça, aquela sensação estranha de se sentir perdido. Essa história - da qual não quero revelar muito pois a HQ é muito muito curtinha - traz uma personagem divagando, perdida em si mesma e ao mesmo tempo, me passou a impressão de que ela não queria se achar, não exatamente. Tive uma sensação de que apesar de estar em uma situação estranha, ali era seu lugar. A atmosfera melancólica e poética da história é perfeita, tem desenhos lindos. Uma leitura rápida e um tanto dolorida, vale a pena. 

OS MENINOS DA RUA PAULO, Ferenc Mòlnar - Uma história de amor. Aquele amor de amizade, sabe? Uma história de confiança, de honra, dignidade. Uma história honesta. Digo honesta pois seus personagens me foram tão honestos, mesmo quando estavam mentindo e isso me tocou de forma única. Ficou uma lição de vida, um aprendizado. Os meninos da Rua Paulo são crianças que formam um grupo organizado por um tipo de hierarquia, como no exército, porém, esse grupo se vê ameaçado por outro grupo de meninos e se for necessário, entrarão em guerra para não perder a dignidade e não perder o terreno onde brincam. Parece tão simples, mas é profundo, é bonito, é  necessário. 

MINHA QUERIDA SPUTNIK, Haruki Murakami - Cai mais uma vez em um mar profundo e sombrio que são os livros do Murakami. Simplesmente adoro me deixar levar por suas ondas que batem na pele e ao mesmo tempo que machuca, acaricia. Essa história me ganhou com tão pouco, logo nos primeiros parágrafos. Temos a Sumire, uma jovem bastante, digamos, estranha. Ou melhor, diferente. E ela nunca se apaixonou por ninguém, até conhecer a Miu. Essa mulher transforma a vida dela totalmente, em todos os sentidos e claro, isso trouxe também coisas ruins. Coisas inexplicáveis. Adoro toda essa questão do fantástico nas obras do Murakami, e nessa obra o fantástico tem a ver com o "outro lado". Uma outra dimensão. Algo que está além de nós, algo inexplicável e de difícil compreensão e visualização. Ah, esse livro é maravilhoso demais. Amei.

CLUBE DA LUTA, Chuck Palahniuk - Outra mega leitura, incrível, maravilhosa, fantástica. Sim. Eu adoro essa história! É violenta, é cruel e é real. Sabe quando rola uma identificação forte, e tudo aquilo que o personagem fala faz total sentido? É clube da luta. Não é para pessoas sensíveis, ou para aqueles que não exigem muito da leitura. É para pessoas fortes, que gostam de ir lá observar de perto o fim do túnel para ver se tem ou não uma luz. Esse livro te joga pra fora da sua zona de conforto, te chacoalha, te vira do avesso e desculpem, mas na minha opinião, literatura tem que causar isso. Não quero ler pra apenas me divertir e passar o tempo, quero ler para mudar minha vida, mudar minha visão. Esse livro causa exatamente isso, uma mudança. Te leva num caminho sem volta. 

FELICIDADE E OUTROS CONTOS, Katherine Mansfield (ebook) - Quando li K. Mansfield pela primeira vez eu achei uma coisa tão delicada, poética e linda e agora que li novamente continuo com essa mesma sensação. Esses contos deixaram meus dias nublados. Fiquei naquele estado meio anestesiado, meio estranho, pensando na vida. É aquele tipo de livro que você termina e fica encarando a parede, sem reação. Gosto de coisas assim. Gosto dessa sensação de anestesia, de tentar compreender a vida e não ter condições físicas e mentais para conseguir isso. Afinal, sempre que tentamos compreender a vida, tudo se anuvia e se perde. 




Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.