CLUBE DA LUTA - CHUCK PALAHNIUK


Sou daquelas que gosta de quebrar regras mesmo - nossa, que ousada - e já começo esse texto quebrando a principal regra: não falar sobre o Clube da Luta. Simplesmente é uma regra que pede para ser quebrada, não é mesmo? Agora deixando as besteiras à parte, vim hoje comentar um pouco sobre esse livro fantástico, que até agora não consigo entender como pôde ter sido tão incrível. Minha cabeça ficou bugada, estragada, danificada ao terminar o livro - isso porque eu já havia assistido ao filme, então pensa... - e sinto que nunca mais serei a mesma. (Além da ousadia, também tendo a ser um pouco exagerada, não sei se deu pra notar.)

Essa leitura é uma experiência incrível por conta de várias e várias coisas, uma lista quase infindável de coisas, mas vou comentar sobre aquilo que mais me chamou atenção: Joe. Claro, o narrador. Esse narrador é uma das coisas mais malucas que já vi. Ele é um personagem no qual não podemos confiar e vamos acompanhando seu mundo desmoronar. Eu acho incrível isso, toda essa questão da auto destruição e de como nos vemos dentro de uma redoma, somos e queremos ser intocáveis e perfeitos dentro desse nosso mundinho. Quando falo que acho incrível esse lance da auto destruição não é por que acho legal você se destruir fisicamente, como os personagens fazem, mas acho incrível essa transformação do nosso mundinho perfeito dentro da redoma para algo maior. Parece que precisamos de um lembrete: não existe perfeição, tampouco esse nosso mundinho que criamos para nós mesmos. Ilusão. No entanto, a história leva isso tudo ao limite extremo.

Pode parecer maluquice, não sei se me fiz entender, mas com certeza esse livro me provocou muitos pensamentos e me fez olhar para fora da redoma. O narrador nos conta que está sofrendo uma crise de insônia, frequenta grupos de apoio para pessoas com câncer e com qualquer outro problema mortal pois é a única coisa que o ajuda a dormir. É um cara problemático. Paranoico. Tudo é a cópia da cópia, da cópia... E nessa atmosfera  incolor e sem vida nosso personagem acaba conhecendo Tayler Durden, o cara que cria o Clube da Luta. Esse clube é muito simples: homens vazios que encontram sentido na vida lutando uns com os outros. No entanto, esse Clube da Luta que acontece semanalmente vai se tornar algo maior. Muito maior.

Eu não pude deixar de notar a semelhança da série Mr. Robot com esse livro. O que me faz gostar ainda mais dessa série maravilhosa. Você deveriam assistir Mr. Robot e deveriam ler Clube da Luta. Se você já viu o filme, que saiu em 1999 com o mesmo título, já deve imaginar que o livro é fantástico pois o filme é simplesmente incrível e merece ser visto, mas te digo uma coisa: o livro é melhor. Claro queeeeee a adaptação é, ao meu ver, maravilhosa, no entanto, a experiência da leitura é outra coisa. Apenas leia! Go for it!





Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.