OUÇA A CANÇÃO DO VENTO E PINBALL 1973 - HARUKI MURAKAMI


Eu sou suspeita para falar sobre Haruki Murakami. Não sei o que aconteceu entre nós mas ele exerce um tipo de força irresistível sob mim, não consigo deixar de me envolver com suas histórias, de me apaixonar e me identificar com seus personagens, de admirar pequenas sutilizas em seus diálogos. Não consigo deixar de admirá-lo pelas referências musicais e literárias que percorrem as páginas. Não consigo. É mais forte que eu. 

Entendo que muita gente não gosta do estilo dele, é algo vago, aparentemente sem preocupação em fornecer respostas para o leitor. Na verdade, é bem o contrário: ele enche tua cabeça com perguntas e teorias mirabolantes sobre o que está acontecendo. Eu, particularmente, adoro isso. Claro que existe medida certa para essa coisa toda de não-fornecer-respostas-só-perguntas, e claro que não é todo mundo que acha isso legal, mas eu gosto. Me deixa. 

Tenho esse negócio na cabeça e essa sensação de que: parece que vou gostar de tudo que ele escrever. É isso. Tem alguns autores que quando nos deparamos com eles a coisa simplesmente rola. E pra melhorar, o nosso Murakami também é super fã de Jazz. Cara... cara... Mas ok, estou aqui para escrever minhas impressões, sentimentos etc, sobre esse livro novo que a Companhia das Estrelas publicou nessa edição magistral. Ouça a Canção do Vento e Pinball 1973 foram os primeiros textos escritos pelo Murakami enquanto ele trabalhava o dia todo no seu bar e só tinha o período da madrugada para escrever. E uma das partes mais legais é justamente o prefácio, onde ele explica como escreveu essas histórias e o que o motivou a se tornar um escritor. Simplesmente incrível.

"E ainda assim, mesmo nesse período, sempre que eu tinha algum momento livre, pegava um livro para ler. Por mais atarefado ou exausto que eu estivesse, por mais difícil que estivesse a vida, a leitura continuou sendo uma grande alegria para mim, assim como a música. Eram prazeres que ninguém poderia tirar de mim."

A primeira novela, Ouça a Canção do Vento - simplesmente adoro esse título - traz a história de um jovem que volta para sua cidade natal e revive alguns momentos marcantes e muito melancólicos, um texto reflexivo, simples mas por vezes bastante profundo. Traz aquele tipo de historia e personagem que te faz olhar para dentro do teu próprio abismo. Essa novela foi minha favorita. Já na segunda novela, Pinball 1973, traz a história de um rapaz que fica obcecado por uma máquina de Pinball e surta com a vida. Basicamente isso. Também é uma história profunda em alguns momentos, traz toda essa atmosfera melancólica e de certa forma familiarmente perturbadora de um personagem que está perdido em si mesmo. 

Eu simplesmente adorei ter conhecido os primeiros trabalhos do Murakami, na minha opinião, ele começou muito bem. Essas duas histórias tem algo único de Murakami, uma sutileza e uma melancolia própria do autor que me deixa absolutamente encantada, porém, não posso dizer que foi uma super leitura mas esquentou meu coração e me deixou feliz por ter lido. Assim como qualquer outro livro do Murakami.










Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.