O CONDE DE MONTE CRISTO - ALEXANDRE DUMAS


Cá estou me aventurando para transmitir aqui um pouco dos meus sentimentos com a leitura de O Conde de Monte Cristo. Me parece uma tarefa difícil, até por que foram muitos os sentimentos. Passei 8 meses envolvida nessa leitura, quando cheguei no final fiquei até meio perdida, sem chão. "E agora, não tenho mais o Conde pra ler!" foi um dos pensamentos que me assombrou - e por vezes ainda me assombra passado um mês do término da leitura.

Isso já mostra o quanto esse livro me acompanhou e devo confessar que adorei a companhia. Adorei pois mesmo enfretando os momentos chatos e difícies me apeguei àqueles personagens, queria chegar no final. E escrevo isso meio que se fosse para homenagear esse companheiro, que até hoje me pego pensando nele. Já cheguei a falar: "ah, esse livro não mudou em nada minha vida! Esse livro não é lá grande coisa!" Será mesmo?

Me deu vontade de repente de escrever sobre isso. Sobre ele. O Conde de Monte Cristo e sua relevância na minha vida. Quando lemos um livro pequeno, passamos uma ou duas semanas acompanhada dele, certo? Às vezes mais, depende. Quando lemos um livro de 1.663 páginas, não vamos só passar uma semana com ele - eu acho né, mas vai saber se tem aí algum maluco como a personagem de Sono, do Murakami, que leu Anna Karenina várias vezes na semana. Logo, nossa relação com esses livros gigantes são bem diferentes.

Quando peguei o Conde pra ler, sabia que ia passar muito tempo com ele - tudo bem que não imaginava que seria praticamente o ano inteiro, mas ok. E todo esse tempo, mesmo tendo partes da história que me desagradava, partes das quais eu não concordava, partes que achava extremamente chatas, eu me apeguei. Eu me apaixonei. Eu me entreguei. E percebo que foram poucos os livros que me entreguei tão perdidamente. Foram poucos os livros que me acompanharam em tantos momentos direfentes da minha vida. Com isso, não posso dizer que o Conde não foi importante, não posso dizer que não gostei ou que amei, foi muito maior do que isso. Foi quase um relacionamento. Sinto como se realmente conhecesse esses personagens e até me emociono enquanto escrevo.

Portanto, diante de todas essas palavras ilustradas nessa tela branca, que por vezes irrita os olhos, deixo registrado que O Conde de Monte Cristo foi sim um livro que mudou minha vida, e até mesmo mudou minha maneira de ler livros. Me sinto feliz por ter lido, por ter conhecido de perto essa história, com coisas boas e ruins, me sinto amada. Se sentir amada por um livro é algo muito especial.




Um comentário:

  1. Aiiiiiii, eu AMEI esse livro também! Li há muitos anos e era uma edição menor, mas lembro que me tocou profundamente. Estou louca pra comprar essa edição e poder ler o texto original! <3

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.