172 HORAS NA LUA - JOHAN HARSTAD


Sabe quando você não dá nada pelo livro? Acha que vai ser só mais um livro voltado pra adolescentes, cheio de mimimi e que no final não vai fazer grande diferença? Pois bem, confesso que sempre tenho esse tipo de sentimento quando pego um livro Young Adult pra ler. Eu sei que é besteira mas minhas experiências com esse tipo de livro não foram das melhores. Porém, peguei o 172 horas na lua pra ler e... socorro!

Pra começar nosso bate-papo já adianto duas coisas : 1) o autor é norueguês e é sempre legal conhecer um autor novo de um país tão distante e diferente.  2) não achei esse livro super significativo, mas como sou apaixonada por Ficção Científica me rendi e me envolvi demais nesse enredo. E não é pra menos, imagina só: a Nasa resolver fazer um sorteio pra levar 3 adolescentes pra lua! Maluquice, né? Mas a questão era que a Nasa estava precisando de grana - claro - então, por que não apostar numa maluquice dessa?

O mundo inteiro se empolga com a ideia e milhões de pessoas se inscrevem para participar. A narrativa vai focar nos jovens que serão sorteados, claro, então logo de cara já vamos conhecê-los para entender suas motivações. O que leva uma pessoa querer ir à lua? Interessante, não? Com isso, já me vi envolvida com os jovens mas não apegada à eles. Vejo isso como um ponto negativo, mas nem tanto, eu não me apeguei muito aos personagens mas também não fiquei indifente à eles. Foi meio que na medida certa. 

Depois do sorteio, eles passam alguns meses treinando e conhecendo a equipe de astronautas que irá liderar a missão e esse é o momento que o autor começa a introduzir um certo romance - e eu já torço o nariz, mas não demora muitas páginas para perceber que até o romance nesse livro tem um tom diferente. Antes dos jovens embarcarem várias coisas estranhas acontecem com eles, chegando na lua então, nem se fala. 

Coisas horríveis começam a acontecer. Não vou contar o que acontece, claro, mas devo confessar que estava lendo antes de dormir, no quarto todo escuro, só enxergava as letras brilhando no Kindle... eu fiquei com medo. Comecei fortemente a considerar acender a luz para ter certeza de que estava sozinha. Gente, presta bem atenção: esse tipo de coisa é bem difícil de acontecer comigo, sentir medo lendo um livro... quase impossível. Mas aconteceu - nem acredito! E isso me empolga demais e conta muitos e muitos pontos positivos pra história. Parabéns, Johan Harstad! 

Talvez seja meu fraco por história de Ficção Científica, talvez seja meu medo de alienígenas, talvez seja a angústia da solidão que gosto tanto de ver retrata na literatura, talvez, talvez, talvez. Só sei de uma coisa: esse livro me pegou. E sugiro você correr pra ler isso, mas cuidado.




3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu já passei por esse livro algumas vezes, mas agora... vou dar uma chance :)
    Ps. Eu adoro os autores nórdicos, especialmente os que escrevem suspense - e, mais especificamente, os noruegueses :D

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.