ENCLAUSURADO - IAN MCEWAN



Assim que terminei a leitura, o único pensamento que vinha à mente era: de onde esse autor tirou toda essa criatividade, pelo amor?! Eu já tinha ouvido falar que essa história era bem diferente e criativa por conta do narrador, mas fiquei bastante impressionada e não esperava por isso. Essa história me divertiu bastante e também me perturbou, fiquei envolvida com esse livro daquela forma que nós, leitores, amamos demais. Foi uma experiência e tanto mas afinal, do que se trata esse livro?

Temos aqui um narrador bem diferente: um feto que nos conta a história de como sua mãe quer matar seu pai. Sim, parece maluco, eu sei. E na verdade é maluco, é irreverente e é envolvente de uma forma deliciosa. Porém, a história não para por aí, é claro. Sua mãe, Trudy, uma mulher bonita e sem graça vai traçando o plano de matar seu marido, John, um poeta meio fracassado em tudo na vida mas que tem uma propriedade de valor. E adivinha quem a ajuda nesse plano maluco? Seu amante, é claro. No caso, o amante é irmão do do John. Cunhado de Trudy. Tio do feto que acompanha tudo isso indignado.

Quando disse que a história me divertiu me referi à narrativa, o bebê que ouve atentamente tudo que está fora da barriga da mãe, acompanha os podcasts que ela ouve - onde aprendeu muita coisa - e por mais maluco que pareça, esse bebê é incrivelmente bem versado. Inteligente. Nem preciso dizer que me peguei rindo em vários momentos e várias situações que soavam absurdas e esquisitas. Ainda mais com o estilo desse narrador, requintado e filosófico. 

Quando eu disse que essa história também me deixou perturbada, estava me referindo à situação de desespero de quem quer cometer um crime, o desespero desse bebê que estava ali dentro da barriga tendo que lidar com tudo isso e o pior, os comentários da mãe com relação à ele. Ao que nos parece, o plano da Trudy era abandonar o bebê e ele por sua vez, está o tempo todo tentando entender isso, como pode sua mãe querer abandonar ele assim? Nem mesmo nasceu. Porém o desespero não acaba por aí não, ainda tem mais coisa que só posso comentar com quem já leu ;)

Esse livro é muito profundo em vários aspectos, pois como comentei anteriormente, nosso bebê narrador é bastante inteligente e por vezes  nos vemos presos em seus monólogos filosóficos. A conversa toda aborda guerra, vinhos, culpa, arrependimento, futuro da humanidade, amor, ódio, frustração, solidão, abandono. Enfim, dá pra pegar muita coisa boa desse livro e colocar na nossa humilde bagagem da vida. 

Um livro poderoso, diferente, envolvente e com esse narrador tão cativante que nos desperta tanto interesse logo de cara. Uma leitura imperdível. Só queria ter o poder de escrever como o Ian McEwan, ele me inspirou. A verdade agora é: quero ler tudo desse cara.

 





Um comentário:

  1. Menina, vejo muita foto desse livro nas redes, mas nunca tinha parado pra ler a sinopse ou qualquer resenha. Muito interessante mesmo. Fiquei bastante curiosa.
    Do autor, só li Serena. Gostei.
    Bjs
    www.jeniffergeraldine.com

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.