ONDE CANTAM OS PÁSSAROS - EVIE WYLD


Já me interessei por essa leitura logo quando soube que a autora abordava o tema da solidão. Gosto dessas coisas. É diferente, incômodo, nos faz sair da zona de conforto. Isso é bom e às vezes, ou quase sempre, precisamos de leituras assim. No entanto, quem me animou mesmo pra ler foi o Thiago Sposito, do canal BookBox Brasil, que propôs uma leitura coletiva. Leituras coletivas são sempre legais, saber que pode enviar uma mensagem para comentar sobre alguma coisa do livro com alguém que está lendo junto é um sentimento delicioso. Com isso, me animei para ler e como já era de se esperar, adorei. 

Antes de tudo preciso comentar um pouco sobre a história desse livro: somos apresentados à Jake White, uma fazendeira misteriosa que tem uma criação de ovelhas. Ela mudou-se para uma ilha britânica e vive sozinha, isolada de tudo e de todos. Uma personagem que gosta de estar sozinha, que precisa estar sozinha mas que carrega nessa solidão o peso do seu passado misterioso. Logo de cara já descobrimos que suas ovelhas estão morrendo de forma violenta e claro, Jake tenta descobrir o que está acontecendo e nós leitores somos jogados nessa floresta escura, cinzenta e sombia que é a vida de Jake. 

Enquanto ela tenta descobrir o que está acontecendo com as ovelhas nos capítulos ímpares, os capítulos pares nos apresenta o passado dessa personagem. Mas não de forma simples ou convencional, longe disso. Conforme os capítulos pares vão avançando a autora vai nos contando o passado cada vez mais distante, vamos regredindo na história da personagem aos poucos. Já peço desculpas pela linguagem mas isso foi FODA. 

Motivo 1: a Evie Wyld faz isso de forma genial com uma narrativa envolvente, impossível de largar.Motivo 2: somos nocauteados, ficamos confusos e perdidos tentando montar um quebra-cabeça que à princípio parece não ter solução. Parece faltar peças. Eu fiquei desesperada tentando montar tudo, tentando entender e aos poucos fui conseguindo, me vi totalmente presa à história, totalmente cercada pelo mundo solitário e sombrio de Jake. Algumas cenas me engoliram ao ponto de sentir aquele calafrio incômodo. Me senti ao lado da personagem o tempo todo. 

Ok: já sabemos que essa história vai dividir os capítulos e com isso vai moldando a história da personagem no presente e no passado.  Só resta saber que se trata de uma história um tanto quanto violenta narrada de uma forma crua, sincera e direta. Passei um nervoso lendo esse livro, principalmente na parte que diz respeito ao passado da Jake. Ao presente também. Impossível ficar indiferente e não se sentir tenso com a história. Outra coisa que precisamos saber: a Jake é aquele tipo de personagem totalmente misteriosa. O passado dela é envolto em uma neblina gelada e pegajosa, nos vemos completamente malucos para adentrar nessa neblina e descobrir tudo. 

Se você acha que esse negócio de ler uma história que mistura presente e passado não é pra você, dê uma chance à Evie Wyld, quem sabe rola! Ela sabe contar uma história, tanto é que já ganhou vários prêmios. Eu, certamente vou querer ler tudo que essa mulher escrever. Porém, ao mesmo tempo que isso é um ponto positivo, pode ser um ponto negativo também pois não são todos os leitores que vão se adaptar à essa história. Como eu disse, fiquei perdidaça, confusa e claro, não é todo mundo que acha isso legal. Mesmo assim, eu recomendo você se aventurar,  sair da zona de conforto. 







QUANTO AO FINAL DO LIVRO


Claro que não vou contar o que aconteceu no final, mas quero fazer alguns comentários, portanto se você ainda não leu... cuidado

Algumas pessoas vieram me falar que não gostaram do final, outras comentaram que criaram um final diferente para ficarem mais satisfeitas. Eu entendo completamente essas pessoas, esse livro tem um final que pode aborrecer muita gente, no entanto, me pareceu perfeito junto com o clima da história. Eu adoro histórias que tem finais que parecem que não acabou de verdade, esse tipo de história deixa um rasgo em nós, acredito que é por isso que tanta gente se incomoda. Essas histórias não saem de você tão fácil assim, pois na sua mente, ela não se fechou, não acabou. E por que essa necessidade de querer que as coisas se fechem, se concluam e acabem de vez? Eu adoro esse gosto forte de quero mais, a ferida aberta, por isso posso falar que gostei do final. Gostei do livro todo. 


6 comentários:

  1. Antigamente não curtia muito essa coisa de presente / passado, porque ficava muito confusa rs Hoje em dia dá um gás a mais para a história. Fico muito curiosa para saber o que vai acontecer na parte A da história, e quando termino a B, quero saber a continuação também haha Aí a história passa e eu nem percebo.
    Menina, quero muito ler esse livro! Uma pena que não deu tempo de ler com vocês dois... Também, leram tão rápido! kkkkkkkk
    Ah! Eu tava ouvindo "Pearl", do Rubel agora... e que voz mais encantadora. Adorei a indicação, viu?!
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também, Dani! Sou muito perdida e se a história for um pouco confusa, fico mais perdida ainda! Mas mesmo assim adoro histórias desse tipo hahahaha

      Nossa, o povo leu muito rápido, eu li em uma semana mas o pessoal terminou bem antes de mim HAHAHAHAH! Esse povo lê demais!

      Rubel é tudibom né? Adoro <3
      Beijos, sua lindaaaa!

      Excluir
  2. Resenha muito boa,poderia me dizer o nome da editora que trouxe o livro para o Brasil ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada :D
      Foi a Darkside Books! Editora maravilhosa <3

      Excluir
  3. Oi Rita! Adorei sua resenha,mas me fala uma coisa: essa história tem terror?! Tipo alma,fantasma,coisa do outro mundo? Eu me interesso por histórias de mistério, mas desde que não envolvam eventos sobrenaturais :( mooooorro de medo! Ai resolvi perguntar logo antes de comprar kkkkkk bjao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieee!
      Olha, tem umas coisas bem sinistras, mas não tem fantasma, não.
      Beijos!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.