ESTA VALSA É MINHA - ZELDA FITZGERALD

Há alguns anos eu conheci um escritor chamado Francis Scott Fitzgerald e me encantei por sua escrita. Pouco tempo depois soube que ele teve um relacionamento problemático com uma mulher chamada Zelda. Depois fiquei encantada com a aparição desse casal no filme Meia Noite Em Paris, e pronto, foi o suficiente para despertar meu interesse pelo casal. Até comprei livros sobre eles e quando soube que a Zelda tinha escrito um romance, fui correndo comprá-lo. Esta Valsa é Minha acabou por ficar aqui na minha estante por muito tempo, esquecido. Nesse mês de Março, mês da mulher, a escolha desse romance me pareceu uma ótima escolha. 

No entanto, quando comecei a leitura - super empolgada - recebi um balde de água fria, pois a história não é muito envolvelmente e sim bastante confusa. Já vou me explicar: aqui temos uma história autobiográfica que nos apresenta a família Knight, composta por um pai juíz e rigoroso, uma mãe meio apagada  e 3 filhas. Vamos acompanhando as particularidades de cada uma das meninas que crescem e se casam. Porém, a história se foca na Alabama, a filha mais jovem ou seja, a última a casar. E o que acontece com Alabama é muito similar ao que acontece na vida da autora, como já disse, temos aqui uma história autobiográfica. 

E é basicamente isso, vamos acompanhando o que acontece com a Alabama e outros persongens, ela se casa com um pintor que se torna muito famoso, o David, e tem uma filha. O que se destaca é como essa história é contada: a narrativa não é muito linear, a autora não se preocupa em contar a história de um jeito fácil de acompanhar. E devo confessar que essa narrativa me atrapalhou e me distanciou da história e dos personagens. Simplesmente não consegui entrar na história, não consegui me importar. Por outro lado, esse livro me forneceu passagens incríveis, que marquei e me identifiquei e sem dúvida vou reler essas marcações. 

Com isso, depois de ter pensado muito sobre esse livro, reconheço seu lado positivo e entendo seu lado negativo. É uma leitura importante principalmente por retratar de um jeito único e sensível a sociedade daquela época. E não podemos nos esquecer que esse romance foi escrito pela Zelda quando estava em uma clínica psiquiatrica, pois ela foi diagnosticada com problemas psicológicos e acabou morrendo quando a clínica pegou fogo.

Portanto, é uma leitura válida (como todas são, ao meu ver) com altos e baixos, que vale a pena principalmente para quem tem interesse na vida do casal mais famoso da literatura. 



2 comentários:

  1. Esse provavelmente seja um livro que eu não leria, embora eu concorde que devemos ler tudo ao alcance, eu fujo dos livros confusos, meu motivo e ser extremamente distraído, e embora ame ler, eu me perco quando começo um livro e ele me enrola por um tempo até ficar interessante.

    http://52semanasemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Acho que é aquele tipo de coisa: me interessaria mais pela história de vida da autora do que pelo livro que ela escreveu rsrs

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.