Felicidade Clandestina - Clarice Lispector

Na minha adolescência tive contato com a Clarice, nos tornamos amigas. Eu, naquela época, adorei o livro A Hora da Estrela, a Macabéa mexeu muito comigo. No entanto, passaram-se muitos anos sem que eu pegasse outro livro da autora. Falha minha, distração, não sei. Só sei que descobri uma saudade enorme que eu estava sentindo da Clarice ao ler Felicidade Clandestina. E esse foi um dos sentimentos mais significativos que tive com relação à literatura nesses últimos dias. Se tratando de um livro de contos, não estou aqui pra comentar cada um dos contos ou escolher um conto favorito para citar. Quero falar dos sentimentos que os contos me trouxeram. Depois que leio Clarice sempre fico inspirada para escrever e falar sobre sobre sentimentos. Clarice é um remédio pra alma.

Como o título sugere a nossa querida autora vai explorar esse tema da felicidade. No entanto, esse não é um livro que vai encher seu coração de alegria mas em pequenos momentos, aqueles quase imperceptíveis, você irá sorrir. Esses contos vão te revirar, te trazer do avesso ao mundo normal, ao cotidiano. Com esse tipo de livro, aprendo a observar o cotidiano de outro jeito, aprendo a buscar aquela felicidade clandestina, aquela felicidade que fica ali escondida e muitas vezes passa desapercebida.

Em sua maioria os textos trazem temas profundos e ao mesmo tempo simples, que me despertaram tristeza, angústia e por vezes essa tal felicidade clandestina. É muito interessante a forma concreta e leve que Clarice vai moldando suas histórias, vai nos deixando submersos em seu mundo introspectivo, vai nos incomodando com algumas situações e principalmente, vai nos levando para a profundeza complexa de dentro de nós. Depois de cada conto eu parava para refletir, absorver, pensar na vida. Percebi coisas novas, passei a enxergar melhor mesmo ainda precisando dos óculos. O enxergar melhor que digo vai além da visão. Clarice tem o poder de despertar isso em mim, tem o poder de mexer comigo. 

Livros de contos são sempre mais fáceis, portanto, se você ainda não leu Clarice ou quer se aproximar mais dela e de sua narrativa única, eu recomendo esse livro fortemente. Um livro emocionante, tocante. E fico torcendo para que você encontre suas felicidades clandestinas. Ah, como eu estava com saudades dessa mulher!

3 comentários:

  1. Eu amo A Hora da Estrela e amo Felicidade Clandestina também. <3
    Assim como você, depois que leio Clarice fico super sensibilizada, com vontade de escrever. Essa autora toca a alma do leitor realmente, adorei o teu texto!

    Beijinhos, Hel.
    http://leiturasegatices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Ritinha! Preciso ler Clarice urgentemente... hehehe Mês que vem vou colocar algum livro dela na TBR. Adorei a resenha, livros que conseguem trazer sentimentos como os que você descreveu, são realmente especiais.
    Bjs, querida! :))
    Manu
    http://manuetudomais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Rita, nunca li Clarice e só vejo elogios sobre a autora! Alguns de seus livros estão adicionados aos desejados e espero compra-los logo haha poucos escritores mechem com o leitor de fato, e quero que a senhora Lispector seja uma delas haha adorei o post <3
    Abraços :)

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.