A Fantástica e Breve Vida de Oscar Wao - Junot Díaz

Às vezes é difícil escrever sobre um determinado livro, tem livros que nos conquistam de forma única. É difícil expressar nossos sentimentos quando nós mesmos não sabemos muito bem o que estamos sentindo, só sabemos que é bom. Esse livro me provocou tanta coisa, tantas reflexões, me deixou extremamente apegada aos personagens. Como reagir quando chegamos ao fim de um livro como esse?

A Fantástica e Breve Vida de Oscar Wao foi escrito em 2007 pelo dominicano Junot Díaz (que ganhou o Pulitzer de ficção em 2008 com a obra), me surpreendeu com uma narrativa intensa e envolvente. Ele nos relata a história de uma família de origem dominicana que vive nos Estados Unidos. Oscar faz parte dessa família que é formada por ele, sua mãe, Beli e sua irmã, Lola. Juntos enfrentam uma série de problemas familiares, sociais, políticos e aos poucos vamos conhecendo melhor esses personagens brilhantemente desenvolvidos.

Oscar é um rapaz obeso que se vê constantemente sendo recusado por todos. Os dominicanos não o veem como um dominicano, ele não tem amigos, tampouco uma namorada e além de tudo, vive em um país que não é seu. Ele se sente deslocado e só é aceito pelo mundo fantástico dos livros de Ficção Científica, onde tudo é diferente. Oscar quer ser escritor, sonha em ser o Tolkien dominicano e é apenas na escrita e na leitura que encontra um ombro amigo.

Logo no começo dessa fantástica história, o narrador já nos explica que essa família tem todos esses problemas porque são amaldiçoados. Somos apresentados ao Fukú, a maldição que assombra a família do Oscar. O Fukú é a razão por todos terem sofrido tantos males, simplesmente não há como escapar. E o mais interessante é que fiquei tão envolvida que cheguei a acreditar nessa maldição, temê-la.

A narrativa é divida em partes, cada uma delas foca na história de um dos personagens. A Beli, a mãe de Oscar, foi a personagem que me mais mexeu comigo. Através dela conhecemos melhor a história política da República Dominicana, pois ela viveu no período da ditadura de Trujillo. Essa é a parte do livro onde ficamos extremamente revoltados, incomodados e perturbados. Apesar de a narrativa ter algumas partes engraçadas e leves, a maior parte é pesado e denso. A leitura é extremamente envolvente, mas os temas explorados nos perturbam profundamente, e quando percebemos já não somos os mesmos.

Não se trata somente de ditadura e pessoas sofrendo por conta de um governo totalitário, mas também o preconceito, discriminação, problemas familiares, divergências culturais, tudo isso está muito presentes nessas páginas. É uma história recheada de temas para se discutir, para pensar sobre. É o tipo de livro que tem um poder transformador muito grande. Acompanhar esses personagens é um aprendizado importante.

Enfim, nem preciso comentar que esse livro entrou pra minha lista de favoritos da vida, né? Certamente é um livro que vou reler, pois ele tem aquele poder único de uma história inesquecível. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.