O Fundo do Céu - Rodrigo Fresán {Especial Ficção Científica}


" A inequívoca sensação de estar em outro planeta. A sensação que me acompanhou ao longo de quase toda a minha vida e me acompanhará por toda a eternidade."

Preparem-se para um texto longo (isso é sinônimo de amor, ok?! rsrs). Eu conheci esse livro por causa de uma indicação que a Luara do blog/canal Ao Rés do Chão fez em algum dos seus vídeos e logo me interessei pela história. Em um impulso consumista acabei comprando, só que deixei ele aqui parado na estante até esse glorioso dia em que resolvi ler esse livro incrível. Nunca consigo ser muito neutra nos meus textos, mas esse em especial vai ter zero neutralidade. Gente, que livro mais maravilhoso é esse? Como assim não tinha lido isso antes? O que estava fazendo da vida que não li Rodrigo Fresán? Enfim, deu pra entender o tanto de amor que está envolvido aqui? Então vamos ao que interessa!

Eu sugiro que você clique aqui para ouvir o disco Wish You Were Here do Pink Floyd enquanto lê esse texto. O autor desse extraordinário livro nos revela em seu posfácio que esse disco é a trilha sonora para o livro, ou em suas palavras "pode ser considerado o disco de cabeceira para O Fundo do Céu". Eu quase morri: primeiro porque eu adoro esse disco, segundo porque tem TUDO a ver! Nossa, quanta genialidade! Estou muito apaixonada por esse autor e por sua obra magnífica. (Eu avisei que não seria neutra).

A história: temos 3 grandes personagens, o Isaac, o Ezra e uma garota que não tem nome. O Isaac e o Ezra são primos, melhores amigos, grudados, íntimos e fãs declarados de Ficção Científica, porém cada um é um planeta completamente diferente do outro. Eles se envolvem em eventos de FC, e acabam produzindo Sci-Fi também. E no meio de todo esse amor por esse gênero incrível e amplo, eles falam muito em um livro que se chama Evasão e esse livro tem grande importância na história. Então temos uma outra história dentro da história. Um livro dentro de um livro. Com isso, ele é divido em 3 partes: Este PlanetaO Espaço Entre Este Planeta e O Outro PlanetaO Outro Planeta. Cada uma dessas partes tem um narrador diferente, e na minha singela opinião, cada uma dessas partes é narrada por um dos 3 personagens citados ali. Se você já leu esse livro, me fala se você também enxerga dessa forma, vou adorar saber! Outra coisa importante é que o Isaac e o Ezra conhecem, em um evento de FC, uma das mulheres mais lindas que já viram, ambos se apaixonam perdidamente por ela. E essa mulher é a garota sem nome e ela tem um importância muito grande na história e na vida desses personagens. Aos poucos vamos entendendo melhor essas figuras e o que aconteceu com eles.

A narrativa não é linear e isso dificulta um pouco o entendimento completo da história, em vários momentos eu não sabia o que estava acontecendo ou aonde estava se passando aquilo tudo. Porém, logo percebi que não conseguiria ler esse livro se ficasse presa à razão, teria que me entregar completamente aos sentimentos, ao estado de contemplação. Esse livro é pra ser contemplado, é uma experiência única de leitura. Existe também uma linha muito tênue entre realidade e ficção que é bem exposta nessa narrativa. E eu AMO esse tipo de coisa. Além disso, esse livro contém um fluxo de consciência, que é aquele estilo em que nos parece que estamos dentro da cabeça do personagem, lendo os pensamentos dele. A narrativa desse livro é uma delícia, é esplêndida, é genial mas também não é assim tão fácil. Como já escrevi aqui, vamos encontrar uma história não linear e com momentos de fluxo de consciência. Isso exige mais do leitor. Isso torna esse livro único e especial. 

Além de tudo isso que já escrevi, o Fresán vai fazer milhares de referência á Ficção Científica.Você vai encontrar referência à Star Trek, Isaac Asimov, Phillip K. Dick, H. P. Lovecraft, 2001: Uma Odisseia No Espaço, O Exterminador do Futuro e até mesmo O Pequeno Príncipe, entre muitas outras. Porém, ele não dá nome aos bois (ou pelo menos, ele não usa o nome orginal) e então temos que ir caçando as referências como se fosse um jogo de adivinha. Entretanto, isso não interfere nem um pouco caso você não conheça a referência que ele está citando, mas é bem capaz de te deixar muito curioso. Outra coisa que interessante, é a referência às obras do pintor Mark Rothko, e eu achei isso de uma genialidade incrível, as obras dele tem uma sensibilidade e ao mesmo tempo uma brutalidade muito grande, e isso tem tudo a ver com a história (clique aqui para ver as pinturas).
"O filme começou, mostrando uma paisagem africana, imemorial, com símios que já não eram símios, mas também não eram homens, e logo apareceu um ominoso monólito preto e um osso se transformou em uma nave espacial que dançava uma caudalosa valsa azul da ausência de gravidade, e depois apareceu Júpiter e a loucura de um supercomputador que era mais sensível que os homens que o construíram e, ao final, uma espécie de hotel nos confins do universo e o retorno à casa, transformado e melhor e, com certeza, implacável. E o silêncio tão eloquante do espaço. E o vazio desse espaço tão cheio. E a música do passado como o som do amanhã."
Esse é um livro essencialmente sobre amor e sobre tempo. O tempo que passa, que voa, que escorre, que transborda. E nada podemos fazer a respeito. É sobre ausência. É poético, nossa, como é poético!
"E o céu da grande cidade - porque à noite ficamos mais conscientes do que nunca da imensidão do espaço e de suas possibilidades infinitas, pois durante o dia o sol ofusca tudo com sua presença - parecia, pra mim, ter sacudido as estrelas para que caíssem sobre uma cidade sempre acesa."
E essa poesia, essa sensibilidade que o texto tem vai te conquistando, te seduzindo, te imergindo de um jeito tão mágico que logo você se torna parte essencial desses planetas, dessas pessoas, dessa história, e tudo passa a fazer mais sentido. Você vai percebendo que o texto complexo, na verdade, nem é tão complexo assim, e então se começa a saborear essa leitura, a desejar que ela não acabe nunca. Que ela fique ali com você até o fim dos tempos. Você vai se sentir parte dela, e aquela sensação de ser diferente, de ser um extraterrestre, de estar em um planeta diferente logo vai se esvaindo. Me digam, vocês já se sentiram assim? Com esse livro, você vai perceber que em algum momento da sua vida você já se sentiu em outro planeta. 
"Sempre escolhiam uma sala de cinema para desaparecer por um tempo, para fazer hora, para flutuar no limbo, para escapar da realidade, para tentar ficar preso nesse momento mágico no qual não temos certeza absoluta se as luzes se apagaram para que seja feita a luz."
Eu super, mega recomendo essa leitura pra todos, independente de você gostar de FC ou não, é muito válido! É uma experiência única e deliciosa, há tempos eu não me envolvia desse jeito. Há tempos não me sinto tão vazia ao terminar de ler um livro, como se parte de mim tivesse sido devolvida e ao mesmo tempo arrancada novamente. É lindo.


Mais informações:
Titulo: O Fundo do Céu
Autor: Rodrigo Fresán
Editora: Cosac Naify
Páginas:352
Saiba mais

2 comentários:

  1. Vim parar ao acaso neste blog e me deparo com um "Especial Ficção Científica". Bah! E agora eu quero muito este livro :') Já não bastava o meu kindle lotado heheh

    Obrigada pela boa dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que demais! Fico feliz que tenha gostado! :D

      Excluir

Tecnologia do Blogger.