Morte Súbita - J. K. Rowling


Enfim de volta! Depois de um breve período de férias do blog, voltei para compartilhar com vocês minhas leituras. Comecei o ano bem pero no mucho. Morte Súbita foi uma leitura surpreendente mas um tanto cansativa. Não sei se é besteira minha, mas fico com muitas expectativas com o primeiro livro do ano, como se ele fosse motivar todo o resto das leituras que pretendo fazer. Nada a ver, eu sei, mas ainda assim é frustrante. Além disso, esse livro está parado na minha estante faz tempo e eu sempre tive aquela vontade de ler principalmente por ter acompanhado muitos comentários positivos e significativos sobre a história. Então, vamos ao que interessa?

Acho que boa parte da população mundial sabe do que se trata  já que esse livro foi escrito por ninguém mais, ninguém menos que J. K. Rowling. Ohh yeah! (Ok, vou abrir um espaço para uma pequena confissão aqui: nunca li Harry Potter. Pois é. Um dia quem sabe eu tiro esse atraso...) E como todos já sabem, essa mulher é uma excelente escritora! Sem sombra de dúvida. Esse livro então trata da história de uma cidade onde existe um conselheiro, um tal de Barry Fairbrother. Esse cara cai morto numa bela noite deixando seu cargo vago. Acalme-se, esse acontecimento não é um spoiler, ok? Contudo, isso vai causar uma comoção pois existem vários interessados nesse cargo. É um livro que envolve bastante política, jogos sujos, falsidade, mentiras, traições, essas coisas básicas. E também vamos acompanhando de pertinho o que vai acontecendo com a vida de alguns moradores dessa cidade, todos eles estão envolvidos com Barry Fairbother direta ou indiretamente. 

Existem vários núcleos de personagens principais, todos relevantes, mas pouco me cativaram. Não são personagens vazios ou mal construídos nem nada (longe disso, na verdade), apenas não rolou a tal da química. Morte Súbita é um livro adulto, mas existe um núcleo de personagens adolescentes muito significativo e que na minha opinião roubam a cena. Foi o caso de Krystal e Andrew. Krystal era queridinha do Barry Fairbrother e quando ele morreu ela passou a se sentir mais vazia do que se sentia antes. Sua mãe é uma viciada em heroína que se prostitui e faz serviços sujos para comprar droga, ela tem um irmão pequeno que precisa dos cuidados dela pois a mãe não pode cuidar do filho e para completar, ela possui uma personalidade extremamente forte, o que chamou minha atenção logo de cara. Andrew também tem problemas familiares sérios, mas nem tanto quanto Krystal. Ele é filho de um dos candidatos ao cargo vago e sofre pelo pai ser agressivo com a família. 

Ao longo da história, vamos acompanhando esses dois e vários outros personagens. A trama vai se desenvolvendo de uma maneira excelente porém um pouco lenta. É um livro grande e essa lentidão pode ser cansativa mas não afeta tanto o leitor a ponto de fazê-lo desistir (isso só depende do leito, na verdade). Ao menos eu não consegui largar o livro até terminar, precisava saber quem iria ocupar o cargo e o que aconteceria com a cidade e com os personagens ali apresentados. Gostei muito do desfecho, realmente valeu a pena mas no geral fiquei com aquela sensação de não-foi-assim-tão-bom-quanto-eu-esperava, sabe? Acredito que isso aconteceu simplesmente pelo fato de eu não ter me envolvido com os personagens e ter altíssimas expectativas. Contudo, é uma história excelente, narrada com maestria. Essa mulher sabe o que está fazendo, minha gente. Quando eu crescer, quero ser como ela.
Espero que tenham um ótimo 2015, cheio de leitura e coisas boas!
Mais informações:
Titulo: Morte Súbita
Autor: J. K. Rowling
Editora: Nova Fronteira
Páginas:512
Compre aqui

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Cara, a J.K. é demais... e esse livro é realmente excelente, re-li esse ano, e ainda fico chocado com o desfecho!

    http://sucraloseeletrica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.