A Vida do Livreiro A. J. Fikry - Gabrielle Zevin


 "Às vezes os livros só nos encontram no momento certo."

Simples, cativante e sincero. Com essas palavras resumo esse livro que não tem muita pretensão, que parece ter sido escrito para nos fazer sentir bem, nos fazer refletir sobre as pequenezas da vida, os atos, as palavras. Confesso que gosto muito disso, simplicidade conquista. 

Nos deparamos com um personagem nada cativante, o livreiro A. J. Fikry, que já começa o livro agindo mal. Ele tem 39 anos e vive no andar de cima da sua livraria. A propósito, ele é dono da única livraria na pequena Alice Island. Não gostei dele ali nas primeiras páginas, mas já imaginava que isso mudaria em breve. Ele não liga para o que as pessoas pensam dele, age sem pensar duas vezes em como pode ferir alguém com as palavras, com atitudes. Depois da morte de sua mulher, ele já não é mais o mesmo. Tem problemas com bebidas e não faz questão de nada na vida. Entretanto, seu livro mais precioso é roubado. Ele possuía o primeiro escrito de Edgar Allan Poe. Depois disso, acontece uma série de coisas que vão transformando o personagem em alguém que queríamos ser ou que gostaríamos de conhecer. 


Depois que foi roubado, ele não tranca mais a porta, pois não há mais nada de valor para ser levado. E por conta disso, alguém entra na sua loja e deixa um bebê, a Maya. Uma personagem tão cativante, me apaixonei por ela. E então, vamos acompanhando o que acontece com Maya e com  A. J. Fikry. E é isso. Não tem uma narrativa complexa. Não tem uma super trama. Não tem personagens super bem construídos. Mas tem sentimentos. Aliás, esses personagens só não são melhores pois não há tempo, o livro é muito curto, porém, muito profundo com suas 186 páginas. Algo que vale a pena ler para esquentar o coração.

"Nossa jornada foi boa. Foram setenta e duas horas deliciosas e, pelo menos pra mim, memoráveis, mas algumas pessoas não ficam para sempre em nossas vidas."

Gostei muito da história, gostei das referências literárias e nerds que permeiam o livro. Gostei principalmente do amor que os personagens tem pela leitura e pelos livros. Houve até uma discussão sobre E-Readers. O único ponto negativo, na minha opinião, é a rapidez dos acontecimentos: a cada capítulo o tempo passa rápido demais. Tive impressão de que a autora estava correndo para conseguir encaixar tudo nas 180 e poucas páginas.

Por fim, a maneira como os personagens tratam os livros, e como suas vidas não fazem sentidos sem eles é realmente encantador. Como já disseram por aí: é um livro para quem ama os livros. Mas acima de tudo, é um livro para quem ama a vida.
"As palavras que não encontra, pede emprestado. Lemos para saber que não estamos sós. Lemos porque estamos sós. Lemos e não estamos sós. Não estamos sós. Minha vida está nestes livros (...) Leia estes livros e conheça meu coração. Não somos como romances. (...) Não somos como contos. (...) No fim, somos como obras selecionadas."

Mais informações:
Titulo: A Vida do Livreiro A. J. Fikry
Autor: Gabrielle Zevin
Editora: Paralela
Páginas:186
Compre aqui

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.