A Primavera da Pontuação - Vitor Ramil

É tão bom quando temos em mãos um livro  nos diz  que "a narrativa que espera  o leitor neste volume (...) aposta em um leitor rico e perdulário: que esteja disposto a compartilhar com o texto seus saberes, contribuindo para construir um sentido." Depois que li essa pequena introdução escrita pelo Sírio Possenti não senti nada além da necessidade de ler, como se um desafio fosse proposto, curiosidade tomando conta de tudo. Que narrativa é essa, afinal? O que tem nessa história de tão diferente? Foram as questões que fiz enquanto olhava e lia as informações do livro, e venho aqui para confessar que o Vitor Ramil ganhou uma fã. Já havia um tempo em que não me deliciava tanto com uma história, ou melhor, com a maneira de se contar uma história. O que o Vitor fez aqui foi construir uma narrativa com personagens ao mesmo tempo simples e complexos, como todos os humanos, porém, esses personagens são a pontuação. Sim, sim, vírgulas, exclamações, pontos, reticências e por aí vai. E a maneira como ele conta a história é extremamente inteligente e bem-humorada.

Nos deparamos com uma palavra-caminhão que atropela um ponto e desesperado pelo acontecimento, palavra-caminhão foge. Ao fugir do local do acidente, acaba desencadeando uma série de manifestações. A pontuação fica revoltada pela falta de segurança, mas logo os motivos começam a ganhar outra proporção por conta de sua infelicidade com o governo, aumentando também o tamanho da manifestação. Em pouco tempo a vida no reino de Ponto Alegre muda completamente, agora com a grande maioria de seus moradores se manifestando, revoltados. Com isso, os vilões da história, o grupo científico e literário Compostos Eruditos "que também se dedica às causas sociais", aproveitam para entrar em ação aumentando ainda mais o caos da situação. Atentados terroristas começam a eclodir, toda a população está em perigo. E o rei? O "reitardado", com diz a rainha, está em busca de si próprio, tentando achar algo a que se apegar, uma ajuda enquanto a Rainha planeja matá-lo. Paralelamente, palavra-caminhão, que havia fugido, descobre que o ponto que atropelou acabou vindo junto pois grudou em sua traseira. Ele e sua mulher cuidam do ponto e decidem fugir e abrir uma igreja do outro lado da cidade. E é tudo o que o povo mais precisa: uma igreja, um refúgio para se esconder de todo o mal. Nada contra, mas as críticas aqui presentes são muito interessantes, só lendo pra saber. 

E essa é a história desse pequeno livro surpreendente e muito bem escrito, muito bem desenvolvido. A linguagem é mais simples do que imaginava, é uma delícia de ser lido. Tem cenas muito engraçadas, referências muito inteligentes. Tem críticas muito bem construidas e interessantes, e por fim, transmite uma mensagem muito bonita. Eu me apaixonei. Me diveriti. Não sei exatamente o que esperava mas certamente não esperava me deliciar tanto e me divertir tanto. Super recomendo.
Vitor Ramil, gaúcho, músico, escritor, incrível. Clique aqui.

Mais informações:
Titulo: Primavera da Pontuação
Autor: Vitor Ramil
Editora: Cosac Naify
Páginas: 192
Ano: 2014 
Compre aqui

2 comentários:

  1. Oi!
    Não conhecia o livro, mas como você, diante do desafio proposto me dá muita vontade de ler para saber do que se trata...
    E, depois que li ser uma leitura divertida, então... deve ser muito legal!!
    Bjs, Lu
    http://resenhasdalu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Esse livro é uma graça. Adoro essa coisa de desafiar o leitor também.

      Grande beijo!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.