O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde

22:43
Um clássico da literatura inglesa, O retrato de Dorian Gray é o único romance escrito por Oscar Wilde. Autor de vida polêmica demais para a Londres do século XIX apresenta em seu livro uma das mais fascinantes e terríveis narrativas que já li.Fiquei totalmente absorta na leitura e não parei enquanto não cheguei ao fim. Tenho uma queda por histórias de terror e de suspense, mas mais do que cenas de horror ou de grande suspense o livro traz um terror existencial com grandes reflexões filosóficas. Apesar de ser escrito no século XIX, para ser mais exata, sua versão definitiva foi publicada em 1891, trata de questões muito atuais.

A história é narrada no ambiente da aristocracia inglesa do século XIX, onde seus personagens estão absorvidos numa vida cotidiana de jantares, óperas e atividades da alta sociedade da época. A história se fundamenta em três personagens: o pintor Basil Hallward, o Lorde Henry Wotton e o jovem e belíssimo Dorian Gray. Sua beleza é descrita como perfeita, quase divina, o Adonis de seu tempo. Com apenas dezessete anos, Dorian encanta a todos que encontra. Sua beleza é reconhecida e admirada tanto por mulheres como pelos homens. É o caso do artista plástico Basil Hallward. Ele simplesmente é fascinado pelo jovem Dorian, que todas as tardes posa de modelo para que ele pinte seus quadros. Sua adoração por Dorian é tal que o inspira a pintar um retrato do rapaz, retrato que, com grande talento, ele consegue expressar e valorizar ao extremo a beleza do adolescente. Quando Dorian se depara com seu retrato ele toma consciência de sua beleza que antes, em sua inocência de menino, ainda não havia dado conta.Então, diante dessa revelação ele faz um pedido. Que pudesse permanecer belo e jovem para sempre. Essa foi sua maldição. Outro personagem extremamente fascinante da trama é o Lorde Henry Wotton, que admirado com a beleza e inocência do jovem faz dele seu joguete e divertimento. Diante de sua personalidade cínica ele começa a destilar todo seu veneno cheio de sarcasmo influenciando o jovem rapaz aos mais abomináveis vícios. O rapaz o adota como mentor e é assim que a história começa.


Na primeira perversidade praticada por Dorian devido à influência de Lorde Henry, Dorian percebe uma mudança no quadro que o apavora. Descobre que o retrato, sem explicação, altera-se a cada crueldade que pratica. Com medo que alguém descubra, esconde o quadro no sótão de sua casa e não permite que ninguém o olhe. Pois nele, poderia ser visto a corrupção de sua alma, enquanto ele jamais envelhece e nem perde sua beleza.

O livro discute o tema da beleza, da juventude a qualquer custo e quanto um rosto belo que em aparência pode insinuar uma vida politicamente correta, pode esconder uma alma de podridão, vícios e pecados.

Oscar Wilde revela como um espelho a hipocrisia da sociedade cristã de seu tempo, revelando que por traz da beleza, distinção, grande cultura e religião que demonstrava, escondia práticas consideradas vis e imorais pela mesma sociedade que as praticava.

A atualidade do livro está aí. Porque pode revelar também a hipocrisia da sociedade de nossa época. Os grandes discursos politicamente corretos, a exaltação da beleza e da juventude até as últimas conseqüências. Segundo os especialistas é o primeiro livro a discutir, mesmo que de maneira sutil, a questão da homossexualidade.

Uma frase colocada na boca de Lorde Henry quase nos últimos capítulos resume o que autor quer discutir com seu livro: “Qual a vantagem de um homem em conquistar o mundo inteiro e perder a própria alma?”, citação bíblica tirada dos evangelhos.

Como um clássico da literatura mundial não pode deixar de ser lido pelos amantes da literatura e dos livros.

Essa edição que tenho pertence à Coleção de Clássicos da Abril editada em 2010. No final do livro apresenta uma breve biografia do autor e um comentário sobre a obra.

Vale a pena ler!

6 comentários:

  1. Estou doida para ler esse livro...
    Será que encontro em algum sebo? Vou tentar...
    BJs, Lu - http://resenhasdalu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu! Assim como a Michele, eu também adorei esse livro. Está na minha lista de favoritos e estou querendo reler ele esse ano.
      Você encontra facilmente nos sebos, e essa edição além de ser linda é barata! ;) hehe

      Beijos!

      Excluir
  2. Que coincidência, falei um pouco sobre o Oscar Wilde no último post que fiz no meu blog, rs!
    Comprei esse livro mês passado numa feirinha mas ainda não li, ele é tão velho (década de 70) que toda vez que o pego, começo a espirrar! Hahah! Essa resenha me deixou com muito mais vontade de ler! Parece ser bem mais sinistro do que eu imaginei, hehe! Bj!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade!
      Ele é muito bom, esse Oscar Wilde. Eu quero muito reler esse livro esse ano e ler mais alguma coisa dele, pois só li essa história até agora.

      Eu tenho sérios problemas com livros muito antigos. Não paro de espirrar também. Meu nariz e olhos não param de incomodar. Então, dificilmente compro livros antigos. Apesar de gostar da aparência antiga, manuseada e aquele cheirinho de livro antigo também é encantador, mas só por alguns segundo, depois disso já começa sessão espirro. Só compro velho se não tem jeito mesmo, do contrário, pago mais caro mas fico com uma edição nova e sem ácaros para me atacar! haha

      Beijos!

      Excluir
  3. Já li esse livro duas vezes .
    é muito muito muito bom

    ResponderExcluir
  4. Rita..sabe informar se essa versão é a completa? ouvi dizer que há muitas edições com censuras. Estou querendo ler esse livro mas queria uma versão completa. Parece ser bom

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.