A vida, o universo e tudo mais

 Hoje é dia do Orgulho Nerd. Apesar de gostar de tudo quanto é tipo de nerdices, esse dia se tornou mais significativo por causa de uma das minhas experiências literárias mais incríveis: o guia do mochileiro das galáxias. Depois que eu li esse livro, essa série, me tornei fã do Douglas Adams e acima de tudo, passei a me dedicar a ler Ficção Científica. Foi essa série que me estimulou a gostar desse estilo literário que hoje se encaixa entre os meus favoritos.

Afinal de contas, o que tem nessa série de tão especial?
 Bem, como o título do post sugere, a série é basicamente sobre a vida, o universo e tudo mais. Por "tudo mais" entenda: amizade, amor, perdas, amadurecimento. Parece sério? Na verdade, não é. A narrativa é desenvolvida de uma maneira descontraída e mesmo se tratando de assuntos sérios, tem um humor irônico que é incrível. Além das críticas poderosas ao consumismo, política, e a maneira como a maioria das pessoas enxerga o mundo. São livros fáceis e rápidos de serem lidos, principalmente porque em um determinado momento você se vê tão envolvido naquilo tudo que se torna impossível deixar de lado.

Já ouvi muita gente falar que o Sr. Adams devia ter usado drogas antes de escrever, pois tem cenas totalmente loucas que vem de uma imaginação fora do comum. Sim, isso é verdade. Me refiro as cenas, não sei se ele usava drogas ou não. Na realidade, não importa o que ele usava, ou se é fantasioso demais, ou se não é tão técnico quanto um livro do Arthur C. Clarke, por exemplo. O objetivo do Douglas Adams era te divertir, te cutucar, te fazer refletir sobre um bilhão de coisas. Está tudo meio mascarado, mas a cada parágrafo conseguimos fazer alguma relação com a nossa realidade, com as nossas atitudes. O verdadeiro valor dessa série se encontra nisso. Entretanto, é totalmente compreensivo que algumas pessoas não gostem de ler esse tipo de literatura, ou não gostem das viagens alucinantes que o Douglas descreve, mas eu sempre digo: você só tem a ganhar se aventurando em uma área desconhecida. E com essa série em especial, você se sentirá desafiado a imaginar as cenas, pois não são nada comuns.

Eu sempre tive uma relação de amor com temas alienígenas e espaciais como vocês já sabem, então quando peguei o primeiro volume nas mãos não tinha outra opção: era ler ou ler. Não me arrependo de ter chegado atrasada nas aulas por ter ido até a Livraria Cultura comprar a continuação (é, naquela época eu não sabia o que era compra online). Não me arrependo de ter pagado mais caro nas minhas edições, pois agora custa muito barato! Só me arrependo de ter lido tudo isso com muita rapidez (eu precisava saber como seria o encerramento) e isso me faz querer reler todos com mais calma (é um dos meus planos para 2014).

Ainda não li "E tem outra coisa". Tenho o ebook, e já peguei várias vezes pra comprar mas nunca tive coragem. Não foi o Douglas Adams que escreveu pois ele morreu muito jovem, mas foi um outro escritor, Eoin Colfer, que resolveu dar uma continuação para a história. Por algum motivo, isso não me cheira muito bem... Nunca li nada a respeito desse livro, não sei se as pessoas gostam ou não, quando eu resolver ler quero fazer isso com menos preconceitos possíveis.

Outra coisa interessante, O Guia do Mochileiro das Galáxias era, na verdade, um programa de rádio que foi ao ar em 1978, e depois tornou-se uma série literária e teve várias outras adaptações, pois, é claro, fez muito sucesso. 

Enfim, tem muita coisa para falar! Mas só vou deixar explícito aqui, mais uma vez, o meu amor e carinho por essa série. E se alguém tem vontade/curiosidade não deixe de ler, porque eu acho incrível, e espero de coração, que você aí que tem vontade/curiosidade também ache.
Além de tudo, o Douglas Adams ainda escreveu 3 episódios para uma das séries mais legais do planeta (talvez, do universo), Doctor Who. Desses 3 episódios apenas dois foram ao ar, e recentemente foi lançado o livro "Shada" que nos conta esse terceiro episódio desconhecido. Ainda não li, mas estou louca pra ler em breve, tenho certeza que será incrível.
 E para finalizar, o Neil Gaiman, amigo do Douglas e fã da série, escreveu um livro sobre isso. Que demais, né?! Aqui tá o link para quem quiser conhecer esse livro. 

Lembre-se sempre de carregar sua toalha junto com você e o mais importante: NÃO ENTRE EM PÂNICO. ;)
Feliz Dia da Toalha para todos.

4 comentários:

  1. Eu quaaaase comprei essa série no Submarino, sempre tá em promoção mas acabei desistindo. Eu assisti o filme e achei tipo MUITO LOUCO hahah! Mas também, eu assisti morrendo de sono, qualquer coisa ia me irritar. Preciso assistir com mais calma e relaxada pra saber se gosto mesmo ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, sou suspeita pra falar dessa série. Amo. Mas o filme é bem louco mesmo. Não é muito fiel ao livro, mas já te aviso: os livros são ainda mais malucos. hehe

      Beijos.

      Excluir
  2. Li o primeiro livro e adorei :)
    Acho que vou comprar todos eles agora.
    Parabéns pelo blog!
    Beijo

    http://vicioseliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.