Na Companhia das Estrelas - Peter Heller


Qualquer coisa ligada ao cosmos costuma me chamar muita atenção, por conta disso, sempre que vejo livros que abordam alguma dessas temáticas fico curiosa e já tenho certeza que vou gostar. Quanta pretensão de minha parte. Pois minha história com esse livro não foi diferente, quando vi o título "Na Companhia das Estrelas" já curti, e logo na primeira oportunidade, comprei. Ele ficou parado aqui na minha estante por alguns meses, até que chegou seu momento e eu o escolhi. Talvez não tenha sido o melhor momento para essa escolha pois não gostei do livro como havia imaginado.

A premissa é muito interessante e super clichê: espalha-se pelo mundo um vírus desconhecido, uma espécie de gripe que matou a maioria esmagadora da humanidade. Os poucos que sobraram tem que se virar para sobreviver em um sociedade onde as regras mudaram completamente. Gosto dessa premissa porque é algo que sempre imagino que possa acontecer realmente a qualquer momento, mas é um tema que já foi discutido várias vezes e estamos cansados de ver por aí. Estamos cansados de ver esse tema ser sempre tratado de forma semelhante, com finais previsíveis e coisas do tipo. Sempre que vejo esse tema cultivo uma esperança de que algo vai me surpreender fortemente. Entretanto, ultimamente isso não tem acontecido comigo e com essa história do Peter Heller não foi muito diferente.

Temos o nosso personagem principal, narrador da história, Hig. Ele perdeu tudo por causa desse vírus, só tem a companhia de seu cachorro, Jasper. Ele mora em um galpão de aeroporto com outro sobrevivente, o Bangley, que pouco sabemos a respeito exceto que é um excelente estrategista e se dá muito bem com as armas. Os dois vivem em certa harmonia, lutando contra ataques e buscando maneiras de sobreviverem. O nosso Hig é uma pessoa que tem um ótimo caráter, tem um coração que quer abraçar o mundo e além disso ele não consegue ficar parado no mesmo lugar, precisa viajar, sair um pouco, e por conta disso ele acaba indo se aventurar quando recebe um sinal de outros sobreviventes. 

A parte interessante dessa narrativa são os altos e baixos do personagem principal. Não tem foco em cenas de ações de tirar o fôlego mas dá destaque aos sentimentos e pensamentos do Hig, assim podemos conhecê-lo melhor para tentarmos entender certas atitudes. Mesmo com esse ponto positivo de querer focar mais no sentimento de alguém que está vivendo o fim da humanidade, me parece que faltou algo. Falta alguma coisa essencial nesse livro, pois mesmo com esses sentimentos, não fui capaz de me emocionar em cenas em que eu deveria ter me emocionado, era tudo "ok". Mas pode ser que escolhi esse livro no momento errado, sempre levo isso em consideração.

Além disso, a narrativa tem um estilo descompromissado, vamos mergulhando em suas memórias como se estivéssemos dentro dos pensamentos do Hig ou como se ele estivesse escrevendo em seu diário de sobrevivência. "Se não houver nada mais, pelo menos uma coisa: ser inundado, consumido."
"É possível amar de maneira tão desesperada que a vida se torna insuportável? Não falo do amor não correspondido, quero dizer estar amando. Estar vivenciando o amor e sentir-se desesperado. Por saber que acabará, pois tudo acaba. Um dia."
Apesar dos pontos positivos, o livro não tem uma grande estrutura apesar de ser grande em quantidade de páginas (407). Nada muito elaborado, apenas uma história, uma série de pensamentos e questionamentos e mesmo com esse negócio de querer mostrar os sentimentos, a mensagem mais importante que ficou no final das contas foi um clichê maior ainda: nunca perca a esperança. E mais uma vez "ok". 

Não tem nada grandioso, somente algumas passagens das quais vale a pena ler, mas no geral, ok. Creio que estava esperando algo mais elaborado, científico, mas esse livro não tem essa preocupação. É apenas um cara contando sua história e observando com olhos tristes e solitários o fim da humanidade.


Mais informações:
Titulo: Na Companhia das Estrelas
Autor: Peter Heller
Páginas: 407
Ano: 2013
Compre aqui

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.