Solanin - Inio Asano


Infelizmente, não tenho referência nenhuma para falar sobre Mangás. Nesses meus 22 anos, só li um Mangá, que foi "O Grande Gatsby" (uma graça essa versão Mangá, viu?!). Uma pena ter lido tão pouco, pois somente agora descobri a beleza desse gênero literário.

A história de Solanin é uma coisa tão delicada, que nem sei bem por onde começar. Meiko conhece Taneda no seu primeiro ano da faculdade, os dois vão viver juntos em um apartamento em Tóquio. Nenhum deles havia morado em uma cidade grande antes. Acabaram de se formar, e estão vivendo aquela fase da vida que você não sabe bem o que quer fazer. Eles não queriam ser assalariados, mas tinham que pagar contas, não tinham escolha. Taneda queria ser músico, mas nem ele sabia direito. Enquanto estavam na faculdade, montaram uma banda que nunca deu muito certo. Taneda também trabalha como desenhista e ganhava muito pouco. Quem sustentava os dois era a Meiko. Um belo dia, ela se questiona sobre vida que está levando e pede demissão no escritório onde trabalha, infeliz. E o casal tem que amadurecer e enfrentar as dificuldades, descobrir o que querem de verdade e seguir em frente.

" E assim, enquanto a gente dá voltas na vida... Vai se perdendo de si mesmo, pouco a pouco."
Achei tudo isso muito interessante, essa passagem da adolescência para a vida adulta. O que é ser um adulto, afinal? Segundo Meiko " adultos são aquele povo que só diz 'tanto faz'. Existem guerras, tragédias, um monte de gente morrendo mundo afora mas eu estou feliz? Então, tanto faz". Esse momento de parar de brincar e levar a vida a sério é complicado e inevitável para todos, e você se descobrir em uma cidade desconhecida e enorme, fazendo coisas que não gosta só por dinheiro incomoda mesmo, e muito. E esses questionamentos dessa fase da vida é abordado com muita sutileza nessa história. A poesia delicada dos pensamentos da Meiko e os traços bonitos são a combinação perfeita. Além disso, a história é bem melancólica. O que só a deixa ainda mais bonita. 

"Os vagões durante o dia são vazios. Mas vão aos poucos se enchendo de pasageiros, à medida que se aproximam do centro. Saindo da estação... De repente, me dei conta da quantidade de gente, de coisas e informações ao meu redor. Fique até tonta. Há prédios, ruas, carros, gente, tristezas e alegrias... Tudo num equilíbrio quase milagroso.
É só quando senti toda aquela energia da cidade prestes a me engolir... foi que percebi que estava mais fragilizada do que imaginei.
Viver é complicado para todo mundo. Eu sei. Mas eu, neste momento, no meio desta cidade, sou totalmente impotente."

O que se pode extrair dessa simples história é muito significativo. Apesar da linguagem ser extremamente fácil, e é de fato algo muito simples de ser lido, não é passageiro. Ao menos, na minha opinião, quando terminei de ler o primeiro volume (ontem de manhã) não consegui parar de pensar em tudo aquilo. A história, os traços, os diálogos, estavam todos latejando na minha cabeça - e ainda estão. O final foi triste. Cheguei em casa (ontem a tarde) e peguei o segundo volume. Também foi triste. E posso dizer que aprendi muito sobre amadurecer, sobre perdas e ganhos. Estou apaixonada por essa história e tudo que a compõem. Gosto de ler esse tipo de livro, que faz você lembrar da essência da história mesmo depois de muito tempo. Quem ainda não leu mangá, talvez Solanin seja um ótimo começo.

"Pra mim, talvez... A vida seja isso. Um eterno ir vivendo"


 Mais informações:
Titulo: Solanin
Autor: Inio Asano
Páginas: 210 (volume 1) 220 (volume 2)
Compre aqui volme 1 e volume 2 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.