A Cidade do Sol/ A Thousand Splendid Suns

 Na semana passada minha amiga me deu esse livro e disse: acho que você vai gostar, é uma história muito bonita. Eu aceitei de bom grado, e comecei a ler assim que pude. Quando terminei, vi que ela tinha razão por duas coisas: sim, eu realmente gostei e sim, é uma história muito bonita.

Khaled Hosseini desenvolveu dois personagens principais nessa história. A forma como ele fez isso não só me surpreendeu como me encantou.

A principio, conhecemos Mariam, filha ilegítima de Jalil, um rico comerciante da cidade de Herat, no Afeganistão. Ela vive com sua mãe, Nana, em uma casinha muito pequena e simples, apesar da riqueza do pai, elas são pobres. Mariam ama o pai, mais do que tudo. Ele vem visitá-la, lhe dá presentes e diz gostar dela, mas não a aceita como filha, a mantém afastada dele e de sua família. Um belo dia, Mariam decide largar a mãe e ir atrás do pai. Ela chega a sua casa, pede pra entrar, diz que quer vê-lo, mas ele não permite. Ela fica na rua, na porta da casa de Jalil durante dias. A vida de Mariam, a partir de então, muda completamente. Quando volta pra sua pequena casa, descobre que a mãe se suicidou. Não lhe resta mais nada agora. Seu pai lhe arranja um casamento,pois claro, queria se livrar dela. E Mariam se vê obrigada a aceitar.

Do outro lado, temos a história de Laila. Uma criança, que cresceu feliz na cidade de Kabul, capital do Afeganistão, onde conheceu seu melhor amigo Tariq. Eles cresceram juntos e descobriram que se amavam, entretanto, a guerra - que durou 9 anos- os separou.

As duas histórias, de Mariam e de Laila, vão se encontrar em um momento. E vai por um caminho tão surpreende e emocionante, que você não consegue mais largar o livro.
 Essa história me ensinou muita coisa boa, entretanto, foi difícil não se abalar ao acompanhar o sofrimento das pessoas durante a guerra, e principalmente, o sofrimento das mulheres. E fiquei imaginando que, apesar da ficção, quantas famílias sofreram as mesmas dores que Mariam e Laila? Quantas mulheres e crianças apanharam, tentaram fugir, sofreram abusos, foram presas ou morreram durante a guerra? Eu sei, o número é assustador.

Essa realidade presente na história faz com que tudo se torne mais frágil, pois sabemos das condições, da cultura e de tudo que aquela região enfrentou e ainda enfrenta. A leitura também é válida para conhecermos melhor a cultura do povo do Afeganistão. Que, claro, é muito diferente da nossa.

A parte positiva da história é sobre amor e perdão, basicamente. Como uma simples pessoa pode mudar sua vida pra sempre, como um gesto ou  palavras fazem toda a diferença. Mesmo no meio do caos, podemos encontrar amor, uma amizade verdadeira. E mais que isso, como o tempo nunca vai levar embora a marca que as pessoas especiais deixam dentro de você. É basicamente sobre isso. É uma história muito, muito bonita.

Leitura super indicada. Ganhou 5 estrelinhas, e daria 10 se pudesse.

Khaled Hosseini nasceu no Afeganistão, e se mudou para EUA em 1980. Escreveu outros livros como o aclamado " O Caçador de Pipas" e o mais recente é "O Silêncio das Montanhas" (que já tenho em mãos e planejo ler muito em breve!). 

Essa foi uma das minhas leituras que fiz em inglês, e não encontrei dificuldade nenhuma, a linguagem é simples e dá pra ler e entender tudo numa boa. Fica a dica pra quem gosta de ler em inglês, ou está estudando.

 E é isso, alguém aí já leu? O que acham do Khaled Hosseini?

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.