Madame Bovary

(Ainda é janeiro de 2013)

Grandes detalhes te permitem enxergar com clareza cada pedaço do personagem e do ambiente que o cerca. Gosto disso, dessa descrição exagerada de cada coisa que se passa. Dessa abundância de palavras pra descrever uma simples cena do cotidiano. Isso é lindo. Madame Bovary é um livro bastante descritivo, escrito no século XIX pelo francês Gustave Flaubert.
Flaubert tinha muita dificuldade para escrever, e em cada página que eu lia e percebia a leve complexidade da descrição pensava: como esse cara tinha dificuldades para escrever? Lemos romances do séc XIX e parece-nos tão natural, tão simples, tão vivo que é difícil de acreditar que alguém teve muita dificuldade para escrever aquilo.
Os personagem de Madame Bovary são interessantes e além disso, são marcantes,a começar pela personagem principal (a Madame Bovary) que assume um caráter individualista, egoísta e incrível. Emma sofre durante o romance e isso o torna mais envolvente.
Acompanhar o sofrimento contínuo da personagem é perceber um pouco da vida como ela é, perceber que existem pessoas diferentes que encaram os fatos de maneiras distintas. Emma é forte e ao mesmo tempo é fraca. Concluo que ela é uma heroína, mesmo com as atitudes erradas que tomou ao longo de sua curta existência, ela foi corajosa muitas vezes. Sinto por não poder entrar em detalhes ( detesto contar a história para os outros, a melhor parte é quando nos surpreendemos), mas se escrever muito sobre a história, sobre o que aconteceu vai ficar sem graça pra quem ainda não leu!
Admiro certas atitudes de Emma, uma romântica incurável, que buscava alucinadamente pelo amor verdadeiro, mas também não gostei e a julguei por outras atitudes.
É interessante esse jogo de "gostar e não gostar do personagem" que Flaubert, talvez, sem querer acaba nos proporcionando. Emma por exemplo, toma atitudes que te faz detestá-la, mas logo você acaba entendo o porquê que ela fez isso e volta a gostar dela, e por aí vai. Terminei o livro admirando Emma, mas ao mesmo tempo com pena, e com certa raiva dela.
Os demais personagens carregam determinados conceitos. Alguns mostram opiniões banais, simples, outros mostram questionamentos profundos. O Sr. Bovary (Charles) também é um personagem interessante mas acaba ficando em segundo plano, ninguém  se importa muito com ele no final das contas,sabe?
Ele nos mostra uma personalidade passiva, quieta, tem desejos comuns como: trabalhar, construir uma família, ser feliz, mas é isso, Charles não é um grande personagem, na minha opinião. Ao contrário de sua mulher, Emma, que muitas vezes parece ter mais de uma personalidade, ela é instável, nos desperta diversos sentimentos ao longo da história.
É bastante compreensível o porque desse romance ter sido considerado obsceno naquela época, Flaubert é ousado com as atitudes e opiniões de seus personagens. O que eles pensam e fazem nos levam diretamente a julgá-los, á condena-los por certas ações e opiniões. Achei isso incrível, um romance em plano século XIX onde um dos personagens nos diz abertamente e sem medo que odeia padres!(E isso é umas das coisas mais "leves", viu?) Fico a imaginar a reação das pessoas que leram esse romance naquele século, o que pensaram? Como agiram? Riram ou ficaram com raiva do escritor?
Emma Bovary e Léon

Eu simplesmente adorei a experiência de ler esse romance. O final guarda uma surpresa, que ao mesmo tempo me deixou triste mas de certa forma aliviada. Agora quero ver o filme!
Se você já leu ou assistiu o filme, vamos abrir uma pequena discussão sobre o romance, só deixar um comentário com a sua opinião!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.