A GIGANTESCA BARBA DO MAL - STEPHEN COLLINS


VOCÊ ESTÁ VIVENDO OU SÓ EXISTINDO?


Recentemente fiz essa pergunta em sala de aula e me espantei com algumas respostas, não esperava que pré-adolescentes fossem responder coisas do tipo: "realmente, minha vida é um saco, só fico existindo". Ou: "nossa professora, agora que pensei nisso fiquei na bad." Acho importante discutir essa questão da rotina, do que estamos fazendo com nossas vidas. Mas agora me responde: e você, como está a sua vida? Está vivendo ou só existindo? 

Na minha visão, estamos um pouco dos dois o tempo todo, alterando eternamente entre viver e existir. Tem horas que nos sentimos ótimos, incríveis, maravilhosos. Aproveitamos o momento. Nos jogamos de cabeça. No entanto, em outra hora estamos, como disse minha aluna, na bad. Tudo não passa de uma cópia, da cópia, da cópia - temos que citar Clube da Luta, não é mesmo? Mas é isso, não dá pra viver a vida no seu potencial máximo o tempo todo. Hoje sua rotina pode ter sido muito boa pra você, amanhã pode não ser e por aí vai. Cada dia é um dia. Cada hora é uma hora. 

Ahhhh, essa questão da rotina! Sempre uma coisa que dá o que falar. Mas o que isso tudo tem a ver com "A gigantesca barba do mal"? Na verdade, muita coisa. Se liga: nessa HQ conhecemos o Dave, ele vive em uma ilha chamada Aqui. Essa ilha é um lugar perfeito onde todos seguem sua rotinas perfeitas, com um caminho perfeito para o trabalho, com um trabalho perfeito, fazendo coisas tudo perfeitamente, chegando do trabalho e vivendo confortavelmente em suas casas perfeitas e vidas perfeitas. Nada fora do lugar. NADA. FORA. DO. LUGAR. Nada. Que chato. 

Essas pessoas tem vidas tão perfeitas com tudo absolutamente tão certinho que elas não suportam a ideia do Lá. Esse lugar, o Lá, que fica além do oceano, é um lugar desorganizado, ouviram dizer até que as pessoas tem barba e deixam o cabelo comprido. Ora, onde já se viu! Que lugar horrível deve ser Lá. Porém, um belo e não tão perfeito dia na ilha de Aqui, algo muito estranho aconteceu com Dave: sua barba começou a crescer, crescer, crescer. Ficou gigante. E que coisa horrível, pois as pessoas não tinham barba na ilha de Aqui, é algo desorganizado, desleixado. Ora, ora, mas onde é que...

Sua barba cresceu tanto que começou a mudar a rotina das pessoas que viviam na ilha, e essa mudança que vai acontecendo nos faz parar para pensar e HOLY SHIT. Que incrível. Que História em Quadrinhos incrível. Você precisa ler esse negócio, porque você vai começar a pensar sobre a sua rotina, talvez entendê-la melhor, aceitá-la ou repudiá-la de vez, mas você vai pensar bastante sobre isso. Eu pelo menos fiquei bugada pensando nisso. 

Sem contar que os personagens dessa história são tão vazios, melancólicos e tão mergulhados nessa coisa do só existir que chega a doer, incomodar. Até porque de certa forma, a gente se vê um pouco nesses personagens e muitas vezes precisamos que uma barba gigantesca apareça na nossa vida para mudar as coisas de lugar. Achei essa HQ necessária. Achei linda. Achei profunda. Achei incrível.





FORREST GUMP - WINSTON GROOM




"Ser idiota não é nenhuma caixa de chocolates."
Sim, cheguei aqui pra escrever um pouco sobre meus pensamentos e impressões sobre o livro Forrest Gump! Mas antes disso, como esse é o primeiro texto sobre um livro específico do ano, gostaria de fazer alguns comentários: quero mudar - um pouco - o formato desse tipo de texto, o que vocês acham? Quero fazer textos mais curtos contando menos sobre o enredo e mais sobre minha visão, sentimentos e opinião. Preciso de um alô pra saber o que preferem ou o que acham da ideia. 

Enfim, Forrest Gump é um livro narrado por um "idiota". O Forrest é um jovem com algumas limitações cognitivas que vai nos contar a história da sua vida. Frisei no contar pois ele realmente está contando a história, não escrevendo. Louco isso, né?! A maneira como foi escrito é a mesma forma como falamos, ou seja, muita coisa está errada e isso combina perfeitamente com o contexto do livro e com o nosso narrador. Sem esse pequeno detalhe o livro não seria o mesmo. 

Vamos acompanhando os grandes feitos desse personagem, observando tudo através de seus próprios olhos e eu achei isso sensacional. "Ah, mas sempre que lemos estamos observando as coisas através de outros olhos" concordo plenamente, mas aqui eu tive uma sensação diferente, não sei explicar. Eu diria que foi algo mais especial, provavelmente a forma como foi escrito ajudou bastante para criar essa sensação. Além de que o Forrest é um personagem diferente, um narrador único - e não confiável, mas divertido. 

Me pareceu que o Forrest é alguém que eu conheço, apesar das maluquices que aconteceram com ele.
Outra coisa interessante foi justamente essas maluquices, pois como um "idiota" como ele foi parar até no espaço sideral? Conheceu o presidente! Ganhou medalha de honra na guerra! Entre muitas outras coisas grandiosas. Chega a ser engraçado a ordem dos fatos e a forma como ele conta tudo isso. Mas para pra pensar na grande crítica o por trás disso! 

Por que muita gente - talvez a grande maioria - enxerga uma pessoa com dificuldades sociais, psicológicas ou mentais como alguém que não vai longe? Ok, posso parecer clichê ou moralista agora, mas temos que parar com isso. Precisamos acreditar nas pessoas. Digo isso como professora também. Temos que acreditar nos nossos alunos. Parar de ficar: ah mas essa geração não vai pra lugar nenhum mesmo, viu, não querem nem saber de estudar! Cercados de tanta tecnologia e informações a sala de aula é realmente um porre para essa geração. 

Enfim, pensei bastante sobre essa questão da diferença, a questão da capacidade de cada um. e das experiências que carregamos. Acredito que é importante parar pra refletir sobre isso, e fico feliz que essa leitura tenha me proporcionado esse momento. É uma maravilha ter a oportunidade de ler uma história deliciosa, divertida, cheia de críticas vorazes através de um personagem "idiota". E outra coisa, esse termo "idiota" é usado no livro, ok? Como ele é narrado pelo Forrest, ele não consegue entender ao certo qual o problema que ele tem, então ele acaba se vendo como um "idiota", no entanto ele tem algum problema de atraso mental (ou algo do tipo, eu não sou da área, não saberia dizer ao certo) porém, ele é prodígio em alguns assuntos como matemática e música. Eu achei isso grandioso, incrível. Ele é tido como "idiota" mas ao mesmo tempo, ele é um gênio. 

Veja só, como é lindo: cada um com suas dificuldades e cada um com suas genialidades. Vamos aprender a amar isso em nós mesmos e nos outros, por favor. 










E pessoal, última coisa - esquece aquilo que escrevi no começo sobre textos curtos, né - OLHA ESSA EDIÇÃO! Edição incrível comemorativa da Aleph, sério, biblioteca básica. Você precisa ter, não só pela beleza mas pelo conteúdo incrível. A editora Aleph está novamente de parabéns! Trabalho incrível.

12 SÉRIES DE TV PARA 2017

Yaaay! Claro que além da lista de 12 livros para 2017 - detalhe: minha lista foi de 13, mas ok - eu também quis inventar uma lista de séries - e filmes também, fica pra mais tarde. Eu estou diariamente vendo séries e o ano passado eu não registrei as séries de tv que assisti, nem fiz nenhuma lista específica, só fui assistindo. Não que isso seja ruim, eu vi um monte de coisa incrível, mas esse ano já resolvi separar 12 que serei "obrigada" a assistir! Sem mimimi! Sem enrolar! Uma série dessa lista por mês e acabou, fim de papo. 

Foi difícil de escolher 12, mas limitei uma série por mês pra ficar assim, digamos, possível concluir essa meta. No entanto, tem algumas séries com várias temporadas, não sei como vou organizar, mas quero pelo menos começar a assistir algumas, outras quero terminar. Enfim, reparei que minha lista de filmes e séries é tão infinita quanto a lista de livros... cara, socorro.

This is us - série lançada em setembro de 2016 que já me deixou com vontade de assistir só pelo cartaz. Olha isso! É aquele tipo de série dramática que vai te deixar arrasado. Pelo que sei, vamos acompanhar algumas histórias de personagens que vão acabar se cruzando por algum motivo maior. 


True Detective - Inspirado no livro "O rei de amarelo" do Chambers, essa série policial vai trazer um lado sombrio, uma investigação com algo sobrenatural, demoníaco. A primeira temporada eu já assisti e amei, agora a segunda preciso terminar. Entrou pra lista com louvor, tem uma primeira temporada excelente! 


The Night Of - Outra série que chegou em 2016, com apenas 8 episódios, conta a história de um cara que está sendo acusado de assassinato, porém a série trabalha com a questão da inocência pois não sabemos se o personagem foi o culpado. Tem aquele lance de ficar torcendo pelo cara que talvez, só talvez tenha cometido um assassinato. Pelo jeito vai dar pra causar aquele desgraçamento mental ao ver essa série. 


The Knick - Tudo que sei sobre The Knick é que se passa no início do século XX e vai retratar a vida de um médico cirurgião muito bad ass, que vai testar os limites da medicina da época. 


People v. O. J. Simpson, American Crime Story - mais um série de 2016 que chegou recentemente na Netflix e parece ser incrível. Só ouço comentários maravilhosos. É uma série baseada em fatos e como o nome já sugere seremos apresentados ao julgamento do O. J. Simpson com uma narrativa que, pelo que sei, vai nos surpreender mesmo já sabendo o final da história. 


Agent Carter - Entrou pra lista pelo simples motivo de: PRECISO PARAR DE ENROLAR E ASSISTIR ISSO LOGO. Deve ser lindo, lindo demais. Essa é uma série da Marvel que traz a linda protagonista Peggy Carter - essa mesmo, o grande amor da vida do Steve Roggers, o Capitão América. E nessa história ela vai ajudar se aventurar em algumas missões secretas. Eu acho ela incrível, preciso assistir esse negócio logo!


I Zombie - Adoro a premissa dessa série: uma moça acaba virando zombie e quando ela come o cérebro das pessoas consegue acesso às suas memórias. Portanto, é claro que ela vai trabalhar para a polícia e ajudar a solucionar assassinatos. Tem como não gostar?


Broadchurch - mais um série policial - acho que estou no clima, hein - que irá investigar o assassinato de crianças. É uma série britânica e tem o David Tennant, quer mais o que????


Fringe - Eu não consigo viver com o fato de que ainda não vi essa série. Porém, a ideia dessa lista é colocar séries com poucas temporadas, assim posso cumprir a meta, mas Fringe tem 5 longas temporadas... não sei se vou assistir tudo, mas definitivamente quero começar! Outra série investigativa que tem uma pegada bem forte de Ficção Científica. 


Bates Motel - Essa série - incrível, diga-se de passagem - entrou pra lista pois pretendo terminar ela esse ano. Aí, meu coração. A última temporada será lançada em breve e ... preciso terminar. Vai ser sofrido, mas um dia a gente supera. Bates Motel traz a história do psicopata Norma Bates - sim, aquele do filme Psicose - e seu relacionamento com sua mãe. 


Six Feet Under - Outra série que entrou pra lista pois preciso terminar esse ano. Faltam 2 temporadas para acabar mas não sei se meu coração aguenta. Essa série é maravilhosa demais. Demais. E sofrida. Traz a história da família Fisher, eles são donos de uma casa funerária e vamos acompanhando tanto o trabalho deles quanto a vida pessoal e digo uma coisa: é sofrida. Cuidado quando for assistir isso, ok? Sério.


Downton Abbey - E a última série da lista, mais uma que ganhou meu coração logo no primeiro episódio. Também preciso finalizar essa série esse ano e realmente, não sei se vou conseguir superar. Já peço ajuda desde agora! Nessa série vamos acompanhar os dramas da família Crawley e de seus criados, com todas as mudanças acontecendo em pleno início do século XX. É simplesmente maravilhoso! Pelo amor de deus, se você não viu ainda, vai correndo assistir! Não seja como eu, que fiquei enrolando pra começar essa série linda. 

E é isso. O ano passado, como já disse, não consegui registrar as séries de TV que assisti - pelo menos não da forma que gostaria - mas esse ano quero fazer post de melhores séries no final do ano e tudo mais. Se quiserem deixar sugestões de série, estou aceitando - afinal a lista não pode parar de crescer. 

TBR | O QUE PRETENDO LER EM FEVEREIRO


Sim, para variar estou atrasada - e toda enrolada nesse mês de Fevereiro pois voltei a trabalhar, e não estava preparada pra isso - por enquanto está tudo indo bem devagar, quase parando. Não vejo a hora de pegar de vez o ritmo para conseguir render com as leituras - e com as séries e filmes que também estou todos atrasados, claro - mas chega de enrolação, vou mostrar minha lista de livros que quero ler esse mês.

Lembrando que não fico encanada caso não consiga ler todos, essa lista serve para me guiar quando termino uma leitura - caso contrário, ficaria horas, talvez dias para escolher o próximo livro - e preparar a TBR facilita muito o processo. Sempre escolho aqueles livros que quero muito ler no momento, mas pode acontecer de trocar - foi o que houve em janeiro, por isso nem fiz o post no blog da minha TBR. 

Outra coisa que é bom lembrar: se você clicar nos livros citados aqui embaixo será direcionado para o meu link da Amazon, se comprar por esse link estará ajudando meu blog e canal :D Agradeço muito!

O QUE PRETENDO LER


Menina Submersa, Kaitlin R. Kiernan (terminar, falta pouco)
Morte em Veneza, Thomas Mann
Minha Querida Sputnik, Haruki Murakami
Os Meninos da Rua Paulo, Ferenc Molnár
Dois Irmãos, Milton Hatoum
Clube da Luta, Chuck Palahnuik
Em Algum Lugar nas Estrelas, Clare Vanderpool
Menina Má, William March
Ghost In The Shell, Shirow Masamune
Count Zero, William Gibson (começar)








CONCLUINDO O MÊS: JANEIRO | 2017


Não acredito que Janeiro já acabou! Socorro! Isso significa que voltamos à rotina, adeus férias. Que momento difícil, mas fica as boas lembranças da tão amada férias :D E o mais legal foi que durante as férias eu consegui ler MUITO, foi incrível! Não li exatamente os livros que queria ter lido, que coloquei na TBR, pois acabei adicionando outros mas valeram a pena, conclui que li muito mais que o normal afinal, li um calhamaço esse mês. Fazia muito tempo que não conseguia ler um calhamaço em um mês e felizmente Janeiro me devolveu esse ~ poder ~ foi ótimo. 

E caso queira comprar alguns desses livros, clique sobre o título que será direcionado para o meu link na amazon. Se comprar por esse link estará ajudando o blog e o canal  ;)

FORREST GUMP, Winston Groom: Certamente entrou para minha lista de favoritos do ano. Um livro cheio de irônia trazendo uma crítica interessante à política e à sociedade como um todo, imperdível. O Forrest é um jovem com a idade mental atrasada que narra essa história de uma forma única. Única mesmo, o livro é escrito da maneira como a gente fala, ou seja, tudo errado. Esse foi um obstáculo para mim, no inicio, mas depois que acostumei isso ajudou a transformar essa leitura em uma experiência incrível. Não perca a oportunidade de conhecer as aventuras malucas vividas pelo Forrest. 

MACHINA ANIMA, Bruno Ma Louzada: uma ficção científica ótima que nos traz aquela história de homens e máquinas, nos faz pensar na nossa proximidade com as máquinas e rever alguns conceitos. Aqui na história, Frank trabalha para uma super empresa que produz robôs com aparência humana num futuro mais ou menos distante, onde a humanidade se perdeu mais ainda depois da 3ª Guerra Mundial. Uma sociedade distópica, trazendo um toque cyberpunk com suas ruas sujas e visual igualmente sórdido, o nosso Frank se depara com um robô que não é como os outros. Sendo assim, muitas coisas malucas vão acontecer. Eu gostei bastante, recomendo para quem gosta de ação e energia. 

A ESPERANÇA, Suzanne Collins: não tenho exatamente muito a dizer sobre esse livro, talvez seja o que mais gostei na trilogia Jogos Vorazes por conta da revolução e da guerra contra a Capital. No entanto, não consegui me envolver com os personagens, não consegui me importar e isso mostra o quanto li esses livros no momento errado, ou o quanto não faço parte da faixa etária ou o quanto realmente não consigo me entender com o gênero YA. Ou tudo isso junto. Socorro. Eu gostei - calma, por favor não queira me dar uma voadora - mas com ressalvas, só isso. 

VAGABOND 3, Takehiro Inoue: mais um volume de Vagabond, mais uma leitura intensa, um personagem que nesse volume pareceu-me insano. Muito sangue e luta, essa história só me surpreende, simplesmente estou adorando acompanhar. 

A GIGANTESCA BARBA DO MAL, Stephen Collins: que coisa delicada e ao mesmo tempo intensa foi essa? Que HQ absolutamente maravilhosa, estou apaixonada. Temos a história do Dave, um homem que vive em uma ilha chamada Aqui e nesse lugar tudo é perfeito, tudo está certo e em seu devido lugar. Absolutamente perfeito. As pessoas levam uma vida igual e gostam disso pois é perfeito. As pessoas nem mesmo tem barba pois parece sujo. Parece coisa de gente de Lá, que é o lugar além dessa ilha. Se você quer viver Lá tem que se jogar no oceano e imagina viver em um lugar onde dizem que todo mundo é desleixado e anda de qualquer jeito? Deus nos livre. Porém, a barba do nosso Dave começa a crescer de forma absurda e esse acontecimento vai mudar a rotina das pessoas que vivem na ilha. Essa HQ traz uma reflexão tão forte que é impossível não para pra pensar no jeito que você leva sua própria vida. Leiam isso, apenas leiam, por favor.

NEUROMANCER, William Gibson: ahhh, que coisa linda. Finalmente concluí a leitura desse temido clássico da Ficção Científica e lhes digo uma coisa: não tem porquê temer. Somos jogados no mundo onde Case, um hacker  que não pode se conectar na Matrix - sim, isso mesmo - pois teve seu sistema neural destruído ao tentar roubar seus chefes, se aventura em uma missão maluca na Matrix - que é um espaço cybernético, como se fosse nossa internet em realidade aumentada, pelo menos foi mais ou menos isso que imaginei - e com essa missão ele conseguirá curar seu sistema neural e voltar a ser um hacker. Essa é a premissa básica da história mas o universo desenvolvido nesse livro é de cair o queixo, simplesmente maravilhoso. Eu adorei conhecer a Matrix, andar pelas ruas de Chibba, admirar o céu de prata envenenado, andar no corpo da Molly. Foi uma experiência magnífica. 

O PINTASSILGO, Donna Tartt: sinceramente não sei o que dizer sobre esse livro. Foi uma experiência tão maravilhosa e marcante que sinto que só vou me repetir: leia, é maravilhoso, leia. Mas sério, leia. O Théo, narrador da história, vai nos contar tudo sobre vida a partir de um dia fatídico em que presenciou um atentado terrorista em NY. Aquele dia mudou sua vida pra sempre. E vamos acompanhando essa jornada do Théo, vendo-o crescer e fazer todas as cagadas possíveis, se envolver com os tipos errados, amar pessoas erradas e aqui a lista vai longe. O Théo está imerso em sofrimento, sua alma dói e vendo-o desse jeito nos dói a alma também. A história é desenvolvida de tal forma que me foi possível sentir o que ele sentia e quantas vezes quis falar dele como um amigo, uma pessoa real na minha vida. Acredito que de fato ele foi, ele esteve aqui, eu o conheci. E jamais vou esquecer toda a vastidão de sentimentos que ele me causou.